Medicina Integrativa: o foco é o doente

Nasceu em Coimbra, um centro estratégico, mas a ambição do Instituto de Medicina Integrativa é a de chegar ainda mais longe, tendo a cidade do Porto no horizonte. Disponibilizando consultas altamente especializadas com recurso a técnicas e métodos próprios, a equipa liderada por Diogo Amorim respeita a individualidade do Ser Humano, não fosse esta a pedra basilar da Medicina Integrativa: “o foco principal é o paciente na sua totalidade, e não a doença”.

3808
Diogo Amorim

Baseada nas medicinas convencional e complementar, a Medicina Integrativa veio trazer uma nova visão que promove um equilíbrio entre o bem-estar físico, mental, emocional e energético. Em que consiste exatamente esta abordagem?
A medicina integrativa combina os avanços científicos da medicina convencional com as técnicas terapêuticas complementares ou não convencionais que demonstram evidência científica. No entanto, a medicina integrativa não é somente a soma destas “diferentes abordagens”. É mais do que isso, é uma nova perspetiva em que o foco principal é o paciente na sua totalidade, e não a doença. Por outro lado na medicina integrativa é essencial ter em conta a individualidade de cada ser humano.
O paciente é visto como um todo, corpo, mente e espírito, estando no centro do processo terapêutico. Para cada paciente é necessário ter em conta diversos fatores, tais como: o seu estilo de vida, hábitos de exercício físico, nutrição, qualidade de relacionamentos, desenvolvimento pessoal e profissional, tipo de ambiente em que vive e trabalha, consciência de si próprio e a sua espiritualidade.
Os benefícios são claros, os nossos pacientes são observados por um médico que integra os conhecimentos de ambas as partes e, desta forma, vai propor o melhor tratamento de medicina convencional acompanhado com terapêuticas não convencionais que para o caso demonstrem eficácia, levando assim a uma sinergia terapêutica.

IMG_1257Importa, por isso, estabelecer uma diferença entre a medicina integrativa e as terapias complementares.
A medicina integrativa não deve ser confundida com as terapias não convencionais, complementares ou «alternativas» uma vez que esta prática ou é efetuada por um médico licenciado em medicina convencional com uma ou mais especializações em terapêuticas não convencionais, ou por uma equipa multidisciplinar constituída por um médico coordenador e por profissionais especializados nas diferentes terapêuticas não convencionais. Gostaria de salientar que os profissionais de medicina integrativa têm uma abordagem direcionada ao ótimo estado de saúde de cada paciente e não à doença.

De que forma o Instituto de Medicina Integrativa veio depositar uma maior confiança e envolvência da sociedade com estas terapias? Podemos afirmar que têm assumido o papel de apoiar o desenvolvimento desta abordagem médica?
O Instituto de Medicina Integrativa oferece um acompanhamento personalizado de acordo com as necessidades específicas de cada pessoa. Através de uma equipa multidisciplinar de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais especializados nas diferentes terapêuticas não convencionais. O excelente trabalho que temos realizado vem contribuir para a crescente procura e confiança depositada em nós. Na minha opinião, existe uma só medicina e não duas, como proclamam. Assim sendo, e tendo em vista a qualidade, a eficácia e a segurança dos serviços prestados aos pacientes, o caminho mais coerente passará pela integração das terapêuticas não convencionais com a medicina convencional numa só “medicina integrativa”. Em vários casos clínicos, só aliando o melhor de ambas nos foi possível obter um maior êxito. Desta forma acredito que o nosso Instituto tem contribuído para o desenvolvimento desta abordagem integrativa da medicina.

DSC_5980Falar em medicina integrativa é ainda falar em mitos que teimam em perdurar na sociedade?
Cerca de 90% dos nossos pacientes são direcionados por outros que já conhecem o nosso trabalho, o que facilita. De qualquer modo, existem sempre dúvidas até porque muita gente não sabe o que é a medicina integrativa e até a confundem com terapêuticas não convencionais. A partir do momento em que a pessoa entende que existe deste lado uma equipa médica que a avalia e a acompanha sente-se naturalmente mais segura. Gera-se assim uma relação de confiança e compromisso extremamente benéfica em todo o processo de cura. Esses tabus tendem a ser gradualmente desvalorizados através da constatação dos excelentes resultados da medicina integrativa, testemunhados pelos próprios pacientes.

O Instituto apresenta uma vertente formativa que tem por missão desenvolver conhecimentos especializados nas áreas de Qigong Terapêutico, Reiki Maha®, Reflexologia do Pé, Massagem Terapêutica, Aromaterapia e Alimentação Saudável.
Enquanto entidade formadora certificada pela DGERT, oferecemos formação em diversas áreas que consideramos úteis e importantes para o bem-estar. Temos, portanto, cursos certificados, ministrados por equipas de profissionais competentes e especializados, nomeadamente o curso de Massagem Terapêutica e Reflexologia do pé e Reiki Maha®. Organizamos cursos de Qigong terapêutico (“Wellness Medical Qigong”) com o mestre fundador Tan Soo Kong que vem da Malásia. A 12 e 13 Março haverá um curso de iniciação (Qigong Essential) e, posteriormente, em junho, continuaremos a formação com técnicas mais avançadas. Contamos ainda com workshops de aromaterapia e alimentação saudável. Estas formações estão ao dispor de um público geral e vasto, no entanto, temos uma crescente procura por profissionais da saúde que pretendem aliar terapêuticas inovadoras aos tratamentos convencionais.

DSC_5928Que planos têm delineado para o futuro?
O Instituto disponibiliza programas de emagrecimento e anti-envelhecimento que iniciam com uma avaliação médica. É estabelecido um programa personalizado que engloba aconselhamento dietético, plano de exercício físico adaptado e sessões de acupuntura estética ou outras técnicas terapêuticas que sejam necessárias. Este programa simplifica o processo de emagrecimento sendo sempre realizado com segurança e acompanhamento médico. Utilizamos ainda a acupuntura em tratamentos de estética facial e corporal como rugas e liftings, estrias e hiper pigmentação cutânea, olheiras, gordura localizada e celulite.
Futuramente teremos uma formação de Medicina Integrativa direcionada às famílias com o objetivo de esclarecer e formar o público sobre a importância de um estilo de vida saudável. Esta incluirá módulos de alimentação saudável, exercício físico e movimento, conexão mente-corpo com técnicas de meditação e mindfullness. Brevemente, teremos novas informações que poderão consultar no nosso site www.medicinaintegrativa.pt