IMG_5232Luís Newton recebeu o prémio pelo projeto Geoestrela no evento CIODAY e vai representar Portugal (e a Estrela) no European CIO of the Year 2016, que se vai realizar em Amesterdão. Luís Newton foi distinguido na categoria de Government pelo projeto Geoestrela que pretende definir uma nova filosofia de gestão assente na colaboração entre a comunidade e a autarquia local.

Autarca desde 2001, Luís Newton cresceu e viveu toda a sua vida na freguesia da Estrela pelo que “foi natural que em determinado momento da minha vida começasse a ter envolvimento político, iniciando o meu trabalho autárquico como vogal do executivo da freguesia da Lapa, uma das freguesias extintas e que se fundiu na Estrela”.

Luís Newton teve várias experiências e a oportunidade de trabalhar em vários gabinetes quer a nível camarário, como a nível do governo e da Assembleia da República, mas “o bichinho autárquico sempre mexeu mais comigo por podermos ter esta intervenção que afeta diretamente as pessoas, bem como ter as respostas dos cidadãos. É muito interessante”, esclareceu o presidente.

Em 2012, quando Luís Newton estava a preparar o projeto para a freguesia da Estrela, uma das preocupações recorrentes, aquando da união de freguesias, era que a fusão, essa grande dimensão que a freguesia passava a ter, pudesse representar um afastamento das pessoas em relação ao poder local. “A minha reflexão começou muito por compreender como é que seria possível e, sobretudo antecipar, passarmos de três para uma freguesia, de 10 mil para 22 mil habitantes, sem perdermos essa ligação”, começou por explicar.

Outra das suas preocupações era assegurar que o nível de serviço que a junta prestava à comunidade aumentasse. Como é que podiam conjugar essas duas realidades numa ferramenta que pudessem controlar diariamente? Assim surgiu a ideia do Geoestrela. Para manter a proximidade e aumentar os níveis de serviço à comunidade.

E o que é o Geoestrela?

O Geoestrela é um projeto da Junta de Freguesia da Estrela que permite aos cidadãos, através de uma aplicação, reportar as situações que pretendem ver corrigidas na sua rua.

Com o Geoestrela a pessoa, ao cruzar-se com uma situação no espaço público que entenda que esteja errada ou com a qual não concorde, desde questões de higiene a questões de manutenção do espaço público, pode reportar através da aplicação desta plataforma. Isto com um simples click, ou seja, tirando uma fotografia e enviando.

“A adesão tem sido muito boa, no espaço de um ano tivemos cerca de 8.000 ocorrências e desde novembro de 2015 que registamos mais de 1000 ocorrências mensalmente. Pode parecer uma situação má por existirem tantas ocorrências, mas para mim significa que há uma média mensal de 1000 pessoas na minha freguesia que têm a oportunidade de identificar que há um problema e contribuir para a sua solução”, adianta Luís Newton, afirmando que estão com uma taxa de eficácia de resposta de 85%.Luís-Newton-CIO-2015

Para além de ser uma plataforma de gestão de ocorrências, o Geoestrela funciona, igualmente, como uma ferramenta de gestão territorial. Isto porque, cada ocorrência gera um indicador possibilitando à junta ter informações claras dos diversos problemas que vão surgindo, bem como em que zonas ocorrem.

A par desta possibilidade, Luís Newton explica que com esta aplicação tem sido possível à junta fazer uma melhor gestão dos recursos humanos no que diz respeito à higiene urbana e na distribuição dos funcionários responsáveis pela limpeza das ruas da freguesia. “Confirmámos que podíamos alocar os recursos humanos e localiza-los nas zonas mais pequenas e para as zonas grandes adquirir máquinas que fariam um trabalho mais eficaz. Essa informação foi-nos muito útil e começamos a ter uma manutenção do espaço público e higiene urbana mais eficaz”, afirma o autarca.

Dar continuidade ao projeto

A verdade é que o sucesso do Geoestrela já deu frutos: o desenvolvimento de três novas plataformas: o Estrela Participa, o Estrela Segura e o Estrela do Bairro que estão em fase de teste para serem lançados à população.

No que diz respeito ao Estrela Participa, esta plataforma irá revolucionar o modelo de participação pública. A população poderá lançar ideias da criação ou reabilitação de novos espaços. Ideias estas, sujeitas votação pela comunidade que poderá concordar ou não. Numa fase posterior, se a ideia atingir um determinado número de votos, entra automaticamente para avaliação e orçamentação e será feito um estudo técnico e de enquadramento para a junta poder executar o projeto. “A junta está a ouvir-vos, está próxima. Vocês podem contribuir para a qualidade de vida da junta”, refere o autarca.

Quanto ao Estrela Segura, aqui a comunidade pode reportar situações de não emergência. Posteriormente, se se justificar, a junta comunica a situação imediatamente à PSP que tomará as medidas relevantes.

Já o Estrela do Bairro servirá para divulgar o comércio local e as atividades da freguesia. Partindo do mesmo pressuposto da plataforma de ocorrências do Geoestrela, sempre numa perspetiva georreferenciada, as pessoas vão poder ter acesso às informações sobre as atividades de comércio local na freguesia.

A ideia é “promover os ideais de qualidade de vida que temos para a freguesia. Sentirem que têm uma estrutura local que apoia e incentiva todo o tipo de atividade e ocorrências. Estou cá para isto, para resolver os problemas da comunidade”, realça Luís Newton.

E conclui, “tudo o que tenho vindo a fazer e que vou continuar a fazer é organizar e estruturar a minha junta de freguesia para que esteja à disposição de todos os meus «fregueses»”, conclui o nosso entrevistado.