O condutor, que reside que reside na zona da Grande Lisboa e se deslocara ao Alentejo em lazer, acusou uma taxa crime de alcoolemia 2,3 gramas por litro.

O veículo, uma carrinha de caixa aberta, foi detetado pela GNR, na manhã de terça-feira, circulando com um dos pneus da frente rebentado e com a jante, quase derretida, a raspar no asfalto.

Projetadas para a berma da estrada, as faíscas provocadas pela jante originaram perto de três dezenas de pequenos focos de incêndio ao longo de cerca de 20 quilómetros, alguns dos quais obrigaram à intervenção dos bombeiros.

O veículo foi intercetada pela GNR, alertada por outros condutores, quando circulava na Estrada Nacional 119, no sentido Ponte de Sôr-Alter do Chão, entre Vale de Açor e o cruzamento para Chança, zona onde deflagrou o incêndio de grandes dimensões. Segundo a GNR, esse fogo teve origem no reacendimento de um dos focos de incêndio.