Salário mínimo dos venezuelanos vai aumentar 50% a partir de setembro

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na sexta-feira que o salário mínimo e as pensões dos venezuelanos vão aumentar 50% a partir de setembro.

287

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na sexta-feira que o salário mínimo e as pensões dos venezuelanos vão aumentar 50% a partir de setembro.

O anúncio teve lugar no palácio presidencial de Miraflores, durante uma comunicação ao país em que foi indicado que este aumento abrange também o subsídio de alimentação, que até agora era calculado a 3,5% do valor da unidade tributária (valor de referência para o pagamento de impostos), para ser calculado a 8%.

Maduro afirmou que o aumento tem como propósito proteger “o direito ao emprego, ao trabalho justo, útil, bem remunerado e a cabal defesa do emprego dos trabalhadores”.

Trata-se do terceiro aumento salarial decretado pelo Presidente em 2016, depois de uma subida de 20% em março e de 30% em maio, prevendo-se que, se necessário, haverá uma atualização do salário em dezembro.

Com o novo aumento, os venezuelanos vão passar a receber 22.576 bolívares (31,39 euros à taxa oficial Dipro) de salário mínimo e 42.480 (59,08 euros) de subsídio de alimentação, num total geral de 65.056 bolívares, que equivalem a 90,48 euros calculados à taxa de câmbio flutuante (Dipro), segundo o valor referencial do Banco Central da Venezuela.

Estimativas recentes do Fundo Monetário Internacional dão conta que a Venezuela deverá atingir 720% de inflação acumulada em 2016 e 2.200% em 2017.