Mais de 650 mil famílias carenciadas sem acesso à tarifa social do gás

Apenas 5% das famílias que cumprem os requisitos estão a ter apoio para pagar as contas. 95% das famílias pobres usam gás engarrafado, que é mais caro e não dá direito a ajuda do Estado.

732

Há 657 mil famílias carenciadas, que apesar de preencherem os critérios, não têm acesso à tarifa social do gás. A redução só contempla o gás natural, mas a maioria das famílias pobres usa gás de garrafa.

Apenas 5% das famílias que cumprem os requisitos estão a beneficiar dos preços mais baixos.

Segundo avançou o Diário de Notícias, em agosto de 2016, havia cerca de 692 mil famílias com direito à tarifa social da eletricidade e esse também devia ser o número de beneficiários de apoios para a fatura do gás. Mas não, só perto de 35 mil famílias pagaram menos de gás.

Os critérios de atribuição da tarifa social são os mesmos, mas o tipo de gás utilizado faz a diferença. Ou seja, 95% das famílias carenciadas ficaram de fora, porque não têm gás natural.

De acordo com a Deco, o gás de garrafa serve dois em cada três lares e custa quase o dobro do gás natural. A associação do consumidor defende que este fornecimento deve ser considerado por lei um serviço público.

Os clientes com descontos no gás natural poupam cerca de 20% por mês na fatura, tendo em conta um consumo médio de 1200kw/h num ano.