Quem visita o site da Kbee depara-se com a pergunta “porquê escolher a Kbee?”. E nós perguntamos: porquê escolher a Kbee? 

A KBee® tem um lema: “A Segurança Informática começa por SI!” A nossa visão é de que os computadores são metade do desafio. A formação de pessoas é crítica para assegurar que a informação esteja protegida, e somente desse modo se alcança a segurança digital no seu todo. Resumidamente, para além da correta configuração de máquinas e anulação das suas vulnerabilidades, com soluções desenhadas à medida de cada cliente, focamo-nos no elemento mais valioso: as pessoas.

Para contextualizar o nosso leitor, com que serviços diferenciadores se apresenta a Kbee no mercado?

A nossa relação com o cliente tem como pilar a formação mediante a promoção de comportamentos nos utilizadores, através da criação de hábitos, rotinas e processos, para garantir que a informação do utilizador está realmente protegida. A segurança digital resulta deste modo da simbiose da implementação de soluções de segurança informática e da formação comportamental das pessoas. Adicionalmente criamos, desenvolvemos e produzimos “in-house”, as soluções de segurança informática que implementamos.

De que forma estão presentes na marca fatores como a inovação, tecnologia e investigação, determinantes para fazer face às exigências do mercado e necessidades dos clientes? 

Na KBee® a presença de tecnologia e investigação é “natura” – devido à experiência e certificações adquiridas ao longo de mais de 30 anos, -conjugada com a inovação. A génese de uma análise contínua desde 2015 sobre o comportamento de utilizadores/pessoas no uso das tecnologias de informação, no qual identificamos os reais problemas de segurança que existem nesta área, conduziu ao desenvolvimento de um software de antihacking e a integração da KBee® no programa Startup BizSpark da Microsoft®.

Os portugueses estão alertados suficientemente e consciencializados no que concerne às melhores práticas ao nível de segurança informática?

 O drama é superior ao imaginável. A atual perceção de segurança informática consiste no uso de um Software de Antivírus, Malware e uma Firewall. Se isto fosse verdade porquê a contínua saída de notícias na comunicação social, de bancos, empresas e privados, que foram vítimas de ataques cibernéticos? Resultando no furto de valor monetário e ou dados, ou ainda reféns da nossa própria informação vulgo “Ransomware”, que a nível informativo gerou no primeiro trimestre de 2016 um valor mundial superior a 196 milhões de euros no pagamento de resgates. Em adição a este drama, existe a noção de que a necessidade de proteção conveniente da informação está diretamente relacionada com a dimensão de uma empresa ou um particular: “Eu não sou suficientemente importante para ser atacado!”

Que maiores perigos enfrentam, atualmente, as empresas na internet? 

Enumerando os três maiores riscos do momento: o “Ransomware”, que cresceu 600% (fonte:Proofpoint) de 2015 para 2016 nos computadores. O “Phishing“ cada vez mais camuflado, ou seja, correio eletrónico que conduz o utilizador a revelar dados pessoais e/ou confidenciais. E a mais letal de todas, no nosso ver, a Engenharia Social utilizada por “hackers”, para conduzir as pessoas a realizarem ações que normalmente não fariam a um desconhecido, como por exemplo fornecer a “password” da sua rede Wifi empresarial, conta/palavra passe de utilizador de acesso ao seu computador, ou para finalizar dados pessoais.

Que premissa tem orientado todo o trabalho da Kbee e que papel a empresa pretende assumir no mercado e juntos dos seus clientes? 

A nossa premissa é conseguir com que as pessoas saibam defender-se, porque as pessoas é que detêm informação, não os computadores. Quer isto dizer que os utilizadores têm de estar em alerta para os perigos da internet, porque ter a consciência da existência de problemas leva a que a natural reinvenção dos ataques, que melhoram dia a dia, sejam detetados com facilidade e caiam por terra. Aliado ao desenvolvimento comportamental das pessoas, o nosso know-how de três décadas de configuração de sistemas operativos, comunicações, desenvolvimento de software e “hacking” preventivo, permite-nos ter uma visão global dos problemas, transformando-os em apenas desafios. Como poderão constatar em breve, mediante o lançamento de um software único a nível mundial, que funde o uso de inteligência artificial na segurança informática e o utilizador, de modo simples, fácil e intuitivo.