Iniciou o contacto no mundo das artes, aos quatro anos, quando começou a dançar e a tocar piano. Foi um gosto que cresceu com ela.

Photo Credit_ Chung AnimationAos 14 anos, depois de ter iniciado o secundário, em Portugal, surgiu a oportunidade para uma audição num colégio interno britânico de artes, Tring Park School for the Performing Arts. Agarrou a oportunidade e decidiu fazer a audição para a escola: um mundo novo, uma cultura nova, uma língua diferente, tudo fora da sua zona de conforto.

Sempre determinada, mas consciente das dificuldades e obstáculos com que se deparou neste percurso, em junho de 2010, com os pais, irmão e melhor amiga viajou para Londres ao encontro da audição tão esperada. A escola não hesitou em admiti-la e em setembro, do mesmo ano, embarcou assim numa nova aventura.

Maria revela-nos que este sonho não seria possível se não tivesse o constante apoio dos pais, moral e financeiro e uma bolsa de mérito oferecida pela escola.

Depois de provar o gosto pela representação em Londres, as ambições desta jovem cresciam cada dia.

Acredita acima de tudo que independentemente da vocação ou área de cada um, a oportunidade de uma educação a nível superior é uma mais-valia e uma prioridade. Com isto em mente fez várias audições para faculdades de teatro e cinema. A viver em Londres as escolhas eram inúmeras, no entanto, os seus sonhos falavam mais alto.

Algumas universidades americanas ofereciam audições em Londres para dar oportunidades a alunos estrangeiros de se candidatarem sem terem que se descolar aos Estados Unidos.

Depois, de mais uma dezena de audições, propostas e rejeições, Maria escolheu uma das várias universidades em Los Angeles que lhe ofereceram um lugar. Admite que enquanto indecisa entre duas escolas americanas, American Academy of Dramatic Arts e New York Film Academy, escolheu a que maior bolsa financeira lhe ofereceu.

Assim, em setembro de 2013, com duas malas e uma viagem de ida para Los Angeles, Maria embarcou numa nova etapa.

Foi com coragem, independência e determinação que entrou nos Estados Unidos, sozinha, pela primeira vez, e terminou a licenciatura, com distinção em maio de 2016.

Ensaio para Anuncio ´Purple One Studios´

Considera a Califórnia a sua segunda casa, mas Portugal é incomparável a qualquer outro lugar do mundo, é onde recarrega energias, reencontra as pessoas mais importantes e o apoio incondicional. Onde, ainda, se sente a menina de 14 anos que sonhava conseguir chegar à capital do cinema.

Atualmente, encontra-se a dar os primeiros passos na indústria de cinema americana, diz que o mais importante é estar sempre a trabalhar e a realizar novos projetos. Em menos de seis meses, na indústria, já contracenou em dois anúncios, e várias curtas. Confessa ter consciência da enorme competição, mas isso não a assusta, apenas alimenta a sua  motivação e relembra-a da maratona tão esperada que finalmente começou a percorrer.

Visite o seu site www.mariadesa.com

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA