Papa Francisco recebe Trump no Vaticano

O Papa Francisco e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reuniram-se hoje, pela primeira, vez no Vaticano. O encontro, que durou 27 minutos, ressalta as diferenças entre Trump e o Papa, no que diz respeito a questões como mudanças climáticas e imigração.

327

O primeiro encontro entre os dois líderes, programado para 8h30 no palácio apostólico e sob forte esquema de segurança após o ataque em Manchester, aconteceu duas horas antes da tradicional audiência geral na Praça de São Pedro.

A reunião privada começou às 08:33 (07:33 em Lisboa) e durou pouco mais do que os 20 minutos que habitualmente duram as conversas do Papa com os chefe de Estado e de Governo que o visitam.

Depois da cerimónia de troca de ofertas e apresentação da delegação, que inclui a filha mais velha de Trump, Ivanka, e o genro, Jared Kushner, o Presidente dos Estados Unidos vai reunir-se com o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin.

Para reativar o diálogo com o Vaticano, o presidente americano, um presbiteriano apoiado pelos setores ultraconservadores católicos, nomeou como embaixadora na Santa Sé Callista Gingrich, uma católica devota, terceira esposa do ex-presidente da Câmara de Representantes Newt Gingrich, dos republicanos,  que apoiou Trump durante a campanha presidencial de 2016.

“É uma viagem histórica. Nenhum presidente visitou numa só viagem a terra de origem dos judeus, cristãos e muçulmanos. O presidente Trump procura unir os povos de todas as religiões em torno de uma mesma visão de paz”, explicou à AFP Herbert McMaster, conselheiro de Segurança Nacional do presidente.

As relações entre Francisco e Trump estremeceram depois de, em fevereiro de 2016, a bordo do avião de volta para Roma, depois da viagem ao México, o Papa criticar as declarações contra os imigrantes do então pré-candidato republicano à Casa Branca.