O número de pessoas que morreram no incêndio florestal que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, aumentou para 63, disse hoje o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. A última vítima mortal confirmada é um bombeiro que estava internado em estado grave no hospital de Coimbra. O bombeiro, que pertencia à corporação de Castanheira de Pera, era casado, tinha 40 anos, era casado e um filho.

Visivelmente emocionado, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses explicou que a vítima mortal tinha sido internada com ferimentos no rosto e queimaduras nas vias aéreas, adiantando ainda que era um dos bombeiros que se deslocava numa viatura no Itinerário Complementar 8 (IC8) que colidiu com um veículo ligeiro de civis e que tentaram salvar a vida dos outros, dando a própria vida.

Horas antes, Luís Meira, presidente do INEM, indicou que, dos 135 feridos. Com esta atualização, o número de feridos é de 134, seis em estado grave: quatro bombeiros voluntários e dois civis.

A maior parte dos feridos são ligeiros, tendo 28 necessitado de recorrer ao hospital. Os restantes receberam assistência no local.

Segundo Luís Meira, os psicólogos do INEM, apoiados por profissionais da Cruz Vermelha Portuguesa, autarquias e Proteção Civil, realizaram 354 intervenções.

No local encontram-se 32 elementos do INEM, apoiados por dez viaturas.

O comandante operacional da Proteção Civil disse hoje, no primeiro balanço do dia dos fogos florestais que lavram nos distritos de Leiria, Castelo Branco e Coimbra, que a situação se mantém difícil mas que o combate às chamas está a decorrer de forma favorável.

Elísio Oliveira admitiu, contudo, a possibilidade de novas complicações no combate às chamas, uma vez que os meios aéreos não estão de momento a operar, devido às condições atmosféricas. Em causa está a falta de visibilidade no local.

“É uma situação que se mantém difícil, mas começamos por valorizar o empenho de todos os combatentes. O combate evolui favoravelmente nos três distritos afetados, Coimbra, Leiria e Castelo Branco. Muitos dos setores deste teatro de operações já estão dominados, muitos deles em fase de rescaldo […]”, afirmou Elísio Oliveira.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses apelou esta segunda-feira, 19 de junho, à população que suspenda, por enquanto, a dádiva de bens alimentares e medicamentos, na sequência do incêndio que deflagrou sábado em Pedrógão Grande, por terem já “todos os ‘stocks’ lotados”. Continuam abertas as contas e linhas solidárias. Veja como pode ajudar nesta fase e, pelo contrário, se precisa de ajuda, saiba a quem recorrer.

O Governo decretou três dias de luto nacional, até terça-feira.

transferir

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA