Em Portugal, são muitos os relatos femininos de discriminação pelo género. Às mulheres há caminhos vedados e reservados ao mundo masculino. Porém, existem casos que mostram que a mentalidade é outra. Existem, de facto, mulheres de sucesso e que percorreram os seus caminhos sem sentir que os obstáculos que lhes foram impostos nada tinham que ver com o facto de serem mulheres. Paula Azevedo é um desses exemplos.

Desde os 18 anos que trabalha na área comercial e se não tivesse enveredado por esta área, está certa de que certamente trabalharia com números, uma vez que é licenciada em finanças e que fez uma pós-graduação em gestão de empresas.

Entrou para a empresa em 2013 e revela que a sua missão passa, sobretudo, por fazer crescer a empresa de uma forma altamente sustentável, uma vez que trabalha na empresa como se ela própria fosse sua. A diretora comercial conta com a ajuda das pessoas que trabalham consigo, às quais exige, acima de tudo, eficiência e que de dia para dia melhorem as suas competências. Antes de ocupar o cargo de diretora comercial o seu percurso foi sempre marcado pela excelente relação que mantém com os clientes, algo que considera extremamente importante para que os negócios fluam de uma forma saudável. “Os clientes são o alimento da empresa e por isso têm de sentir que estamos aqui para servir da melhor forma possível os seus interesses, uma vez que, sem eles não há empresa”. Mesmo quando não está a trabalhar, está. Para Paula Azevedo não há forma de se desligar da vida profissional, não porque não lho permitem mas por ser uma apaixonada pela empresa e pelos seus ideais.

“Homens e mulheres têm diferentes competências e isso tem de ser encarado como algo muito positivo e usado a favor do crescimento do tecido empresarial”

Apesar de nunca se ter sentido prejudicada por ser mulher e ocupar um cargo de gestão, Paula Azevedo, reconhece que infelizmente essa é uma realidade evidente no nosso país. De forma a ultrapassar essa questão, a nossa interlocutora acredita que a mudança principal que tem de acontecer é ao nível da mentalidade. As mulheres têm de continuar a apostar em marcar a diferença através da competência e do empenho. Paula conta que ao longo do seu percurso a parte familiar não interferiu, é difícil mas possível “é tudo uma questão de organização. O segredo para se conseguir se ter s, além da organização, é gostar do que se faz”. Mesmo quando está de férias continua a atender os clientes.