Durante dois dias, 8 e 9 de julho, os Jardins do Palácio de Cristal foram palco do maior evento anual nacional destinado à mobilidade elétrica, organizado pela Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE). O evento bateu o recorde ibérico de participações com mais de 200 inscrições confirmadas, entre as quais utilizadores da Madeira e dos Açores, bem como uma representação da Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores (ABRAVEI), inscrições de Espanha e uma inscrição de Marrocos.

Pela primeira vez a Tesla esteve representada oficialmente num evento em Portugal, com os seus dois modelos emblemáticos, o Model S e o Model X. Presenciou-se a estreias nacionais como o Mini Plug-in (PHEV), os novos Smart elétricos, ForTwo, ForTwo cabrio e ForFour e outras recentes novidades como o Hyundai IONIQ 100% elétrico e híbrido Plug-in.

O evento surpreendeu os visitantes com um barco eletro-solar da Sun Concept, concebido e produzido em Portugal, no Agarve, em Olhão, o comboio turístico elétrico da Deltrain, os quadriciclos da Birò, o primeiro veículo elétrico português homologado, o Veeco, a Smart Flower, um girassol fotovoltaico, e a Omniflow, com o seu candeeiro com iluminação LED, produzida por pequenos painéis fotovoltaicos e uma mini eólica.

Tratou-se da maior concentração e exposição de veículos elétricos e de produtos associados à mobilidade elétrica, como carregadores rápidos, semi-rápidos, portáteis e domésticos, comercializadores e operadores de energia para a mobilidade elétrica.

O QUE ELES DIZEM…

João Pedro Matos FernandesJoão Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente

A mobilidade elétrica será aquilo que a indústria e os consumidores quiserem que seja. Portugal propõe-se a que em 2050 não circulem veículos de combustão interna e que e não sejam utilizados combustíveis fósseis para produzir qualquer forma de energia. Mas quero acreditar que esse objetivo seja alcançado já em 2040 ou que, pelo menos, haja só um número residual. Este governo abriu um concurso para a aquisição de 500 autocarros de boa performance ambiental (elétricos e a gás), o que representa uma melhoria do que já existe. Sentimos que, neste momento, a tecnologia dos autocarros não está suficientemente desenvolvida para que as empresas possam fazer uma aposta ainda mais alargada na aquisição de autocarros elétricos, mas o crescimento que se está a verificar na mobilidade elétrica é bastante grande.

Henrique SánchezHenrique Sánchez, Presidente Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE)

Quero agradecer ao Município do Porto a recetividade que teve para o Encontro Nacional de Veículos Elétricos. Isto não é uma corrida dos 100 metros, é uma maratona e é mais um passo que foi dado. Temos mais de 40 veículos elétricos em exposição, um barco elétrico, um comboio turístico elétrico, motas e bicicletas. O objetivo da associação não é só mudar todos os carros de combustão interna para veículos elétricos, mas também consciencializar e informar a população. Pretendemos ter visibilidade porque um dos problemas da mobilidade elétrica é a falta de informação ou alguma desinformação. E estes eventos servem para isso mesmo.

Filipe AraújoFilipe Araújo, Vereador da Câmara Municipal do Porto para a Inovação e o Ambiente

Abraçamos desde logo esta oportunidade de realizar o encontro na cidade do Porto pela estratégia que temos vindo a seguir no âmbito da mobilidade elétrica. Estamos num processo de transformação, com a aquisição de uma nova frota com cerca de 300 veículos elétricos ou híbrido plug in, por isso faria todo o sentido que o encontro nacional se realizasse na nossa cidade. Temos todo o interesse que as cidades se adaptem à mobilidade elétrica e que esse seja o caminho para cidades com uma qualidade de vida melhor e cada vez mais sustentáveis.