“O sucesso da agap2IT deve-se à qualidade dos seus colaboradores”

A agap2IT é uma organização europeia na área dos Sistemas de Informação, Ciência e Tecnologia e é já uma referência mundialmente no mercado em diversos setores. Pedro Mota Pereira, Manager na agap2IT, fala-nos sobre os desafios da Indústria 4.0 e a importância do Capital Humano.

413

Que aspetos contribuíram para o crescimento e a consolidação que a marca agap2IT  apresenta hoje no mercado?

PEDRO MOTA PEREIRAA agap2IT nasceu em 2005 no sentido de colmatar necessidades identificadas no tecido empresarial. Foi nosso desígnio levar aos negócios, o melhor know-how em tecnologias da TIR (Third Industrial Revolution).

A nossa atuação de sucesso em clientes de vários setores de mercado, tornou possível a criação de um grupo de raiz de ação global, do qual fazem já parte mais de 40 empresas de inovação e tecnologia.

A necessidade de acrescentar valor aos negócios e empresas, com o melhor conhecimento de Transformação Digital, manteve-se sempre como parte fundamental do ADN da agap2IT. Por um lado, a coexistência de operações múltiplas a nível internacional num clima de autonomia operacional e, por outro, o potenciar de sinergias estratégicas no desenvolvimento de projetos complexos e inovadores, acelerou ainda mais o nosso crescimento a nível nacional e global.

No início da atividade, o nosso core business era prestação de serviços de consultoria em Engenharia e em Tecnologias de informação, a par de execuções de desenvolvimento aplicacional in house em regime de Turn Key. Crescemos e, no presente, somos uma consultora com sete unidades técnicas especializadas e detentoras das competências necessárias para assumir as diferentes fases de um projeto, desde o levantamento de requisitos até à implementação, entrega e manutenção, aplicando as metodologias adequadas a cada fase e ao objetivo do projeto.

Atualmente, a agap2IT é também uma plataforma de nearshore, aproveitando o potencial e qualidade dos engenheiros portugueses e a sua capacidade de construir soluções técnicas. Temos um foco não só no mercado nacional, mas também a nível europeu através da deslocalização de projetos.

Empenhada na inovação, a agap2IT procura desenvolver e potenciar a tecnologia como parte integrante de qualquer organização. Que desafios enfrentam quando se fala de modernização de empresas numa economia cada vez mais global?

A situação económica desafiante na última década constituiu para as empresas de qualquer setor uma oportunidade. A agap2IT transformou os desafios dos seus clientes, em projetos diferenciadores. Este processo de acrescimento de valor tornou possível o desenvolvimento sustentado da nossa organização desde a sua génese.

O tecido empresarial mostra, à medida que a conjuntura económica se desanuvia, uma maior abertura para investimento tecnológico. O nosso conhecimento em Transformação Digital é global, dada a atuação direta e indireta em vários países europeus, e do nearshore para projetos de atuação mundial.

Uma verdadeira revolução digital da economia é o que se pretende com a Indústria 4.0. As empresas estão preparadas para esta transformação?

As empresas estão atentas às necessidades dos seus clientes. Sabem que o presente e futuro passa pela disponibilização de produtos e serviços cada vez mais assentes em tecnologia de Big Data, IoT, Machine Learning, Sistemas Cognitivos e Robótica.

Estudos recentes apontam que em 2020, 50% da despesa das empresas nacionais em tecnologias de informação incidirá sobre a terceira plataforma, assim as empresas entendem que é um requisito modernizarem-se e há um esforço conjunto de diversas instituições para o fazerem. Tanto em Portugal como na União Europeia existem linhas de ação para o fomento da Indústria 4.0 e Digitalização.

Falar-se de uma revolução da economia e do mundo do trabalho é falar, também, de uma revolução na forma de gerir pessoas nas organizações?
A mudança será gradual. Os departamentos de RH das empresas têm de estar atentos aos seus quadros e têm de antever as necessidades de novos perfis de colaboradores, conjuntamente com as faculdades e escolas técnicas.

As gerações que chegam ao mercado de trabalho são cada vez mais qualificadas, seletivas e estão imersas no contexto digital. Estas vão conviver com outros profissionais qualificados e preparados para uma constante mudança de carreiras. Soma-se a estes perfis, a já perspetivada automação da economia, a que cada organização terá de atuar, planeando antecipadamente.

De que forma a valorização humana está presente na agap2IT e como procuram incutir essa ideologia nas organizações com as quais trabalham?

O sucesso da agap2IT deve-se à qualidade dos seus colaboradores. Desta forma, a sua valorização é constante. Faz-se através de um plano de carreira e acompanhamento de proximidade e pela passagem do espírito “agapiano”. Entre as regalias que estão disponíveis para todos, salientamos a disponibilização de formação certificada dada in house.

A valorização humana, o empreendedorismo, a responsabilidade social são pilares da agap2IT, que procuramos fomentar na ação diária que temos com empresas dos mais variados setores.

A agap2IT consolidou em 2016 a sua posição no setor da inovação e tecnologia. A estratégia seguida está a potenciar e a diversificar a oferta, com um foco claro nas necessidades e oportunidades apresentadas pelo mercado. E como se prevê o ano de 2017?

FISMO desafio atual da agap2IT passa por acompanhar as necessidades de Transformação Digital de clientes e futuros clientes. Em abril lançámos o FootballISM, a mais completa plataforma de gestão de informação para Futebol, criada a partir da experiência em formação do Sporting Clube de Portugal que permite gerir a evolução desportiva, escolar, social e pessoal do principal ativo do Futebol: os jogadores. A plataforma analisa de forma detalhada e transversal o “scouting”, o recrutamento, a avaliação de treino e a competição, a gestão de instalações e equipamentos e a componente médica e jurídica. A plataforma permite uma avaliação quantitativa e qualitativa ilimitada de dados, fornecendo aos responsáveis dos clubes a melhor informação para o controlo e tomada de decisões. Esta plataforma tem suscitado o interesse de diversos clubes a nível mundial, destacando estes como pontos positivos, o leque de funcionalidades que a plataforma disponibiliza, a flexibilidade de utilização e a facilidade e celeridade em obter a informação necessária para a gestão de um clube de futebol.

Em Portugal, estamos a expandir os nossos Centros de Competências de Transformação Digital. No Porto, temos um novo escritório (na Trindade Domus) e expandimos o espaço de Lisboa (de 500 m2 para 1000 m2). Desta forma vamos servir um número maior de clientes em nearshore. Paralelamente, a expansão internacional está a decorrer e o nosso desafio é consolidar as operações em cada novo país em que entramos. Holanda, Alemanha e Inglaterra são a aposta deste ano.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA