O Conselho de Ministros decidiu a 13 de julho candidatar a cidade do Porto para acolher a Agência Europeia do Medicamento (EMA), por considerar ser a cidade portuguesa que “apresenta melhores condições para acolher a sede daquela instituição”.

Na ocasião, o ministro da Saúde indicou que o Porto tem “todas as condições” para acolher a sede da EMA, incluindo “instalações logísticas” capazes de, com “um pequeno esforço de adaptação”, acolher os cerca de 900 funcionários que, atualmente, trabalham na sede daquela agência em Londres.

Quanto às possíveis localizações na cidade, o ministro da Saúde apontou que está sinalizado “um edifício na praça D. João I, que apresenta condições técnicas muito adequadas”.

Inicialmente, Lisboa era a única candidata nacional, mas o Governo reabriu o processo de forma a integrar também o Porto.

Praticamente todos os Estados-membros da União Europeia já apresentaram ou vão apresentar uma candidatura a sede da EMA, relativamente à qual deve existir uma decisão final em outubro ou novembro.

Lisboa já é sede de duas agências europeias, a da Segurança Marítima e do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência.

Lusa