Pela sua localização e condições naturais, aliadas às suas paisagens singulares, Manteigas, oferece uma qualidade de vida de excelência. Aqui pontuam o turismo de natureza e aventura. O número de visitantes tem crescido exponencialmente e antevê-se a sua evolução como destino turístico para visitar, onde viver e investir.

Lagoa da Paixão - Marco Santos Marques

Salgadeiras - Autor CMM - Cópia

Regressei à presidência da Câmara Municipal de Manteigas nas últimas eleições. No momento em que assumi novamente a gestão do Município em 2013, deparei-me com dificuldades financeiras resultantes das dívidas a fornecedores, particularmente nas redes de saneamento e abastecimento de água. A dívida assumida e não paga era superior a dois milhões de euros (€ 2.000.000,00). Daqui resultava que os mecanismos de cabimentação e compromissos obrigatórios estavam na raia da ilegalidade e os pagamentos a fornecedores estavam atrasados há cerca de um ano.

Este era um problema que era uma prioridade a resolver e assim se fez.

Nesse sentido, tivemos que recorrer ao Programa De Saneamento Financeiro e contrair um empréstimo bancário de dois milhões e meio de euros (€ 2.500.000,00) e liquidar as dívidas.

Neste momento, a lei está a ser totalmente respeitada, os pagamentos a fornecedores são feitos a sete dias, e a gestão do Município está completamente estabilizada, tendo-se readquirido a capacidade de contrair novos empréstimos, se disso houver necessidade.

EMPENHAMENTO NA EDUCAÇÃO E AÇÃO SOCIAL

Sem dúvida que a nossa maior preocupação são as pessoas, o seu bem-estar e a sua qualidade de vida.

Os eleitos têm a nobre missão de representar o seu território e as pessoas que nele habitam, corolário que resultou da confiança de quem elege e a disponibilidade de quem é eleito.

Servir melhor é sempre o lema e os objetivos a atingir são a qualificação e a inovação, integrando a participação cívica e a solidariedade intergeracional.

É por isso que os setores da Educação e da Ação Social são desígnios que merecem a maior consideração, respeito e atenção.

Relativamente às medidas tomadas em relação à área da educação explica: A Câmara apoia os alunos dos primeiros e segundos ciclos com pagamento de manuais escolares, transportes e pagamento de refeições, assegurando o princípio de, a cada um, conforme as suas necessidades.

Mais, em Manteigas, nenhum jovem deixa de ingressar e frequentar o Ensino Superior, por falta de capacidade financeira. Em cada ano são asseguradas cerca de 40 bolsas de estudo e o transporte para visitas à família aos fins-de-semana.

Da máxima importância é também a nossa articulação com a UBI – Universidade da Beira Interior – designadamente, com quem estamos a promover protocolarmente a instalação do Centro de Energia Viva de Montanha de Manteigas, em colaboração ainda com a Agência de Energia do Interior.

Concomitantemente, com os mesmos parceiros e com a Agência Nacional de Ciência, do Ministério da Cultura, irá cá ser instalado o Centro de Ciência Viva.

Estes centros são espaços únicos, em termos regionais, e modelares, em termos nacionais.

Nos centros a instalar, a Educação e a Investigação terão espaços de eleição para os alunos dos diversos níveis de ensino e para professores e cientistas, que nos ajudarão a formar, atrair e cativar jovens qualificados.

Se aos jovens queremos propiciar um futuro qualificado e sustentado, damos equivalente importância à ação social que é uma preocupação constante.

É por isso que a autarquia apoia as instituições de índole social, solidária, cultural e recreativa e os cidadãos diretamente.

Os apoios diretos são feitos aos detentores do cartão do idoso, na aquisição de medicamentos, comparticipando deslocações a destinos dos seus imaginários, desde Fátima, Santiago de Compostela até Lurdes, Açores e Madeira. Oferecemos ainda encontros intergeracionais e disponibilizamos ginástica geriátrica.

O município é igualmente pioneiro no apoio à regeneração urbana de habitações que permitam criar condições para retardar a institucionalização dos seus proprietários, tendo sido apoiadas mais de 800 pessoas, para além das intervenções em todos os bairros sociais.

Manteigas Trilhos Verdes 01 - Autor CMM Parapente - Autor CMM - Cópia

UMA APOSTA NA DEMOGRAFIA E NO INVESTIMENTO

Manteigas, durante mais de um século, foi conhecida por ser uma terra de lanifícios em que o emprego, a continuidade e substituição geracional não estavam em risco.Poço do Inferno - Autor António José Gonçalves Ramos - Cópia

“O mundo muda e não pede autorização para mudar. Importa, por isso, encontrar soluções novas para novos problemas. Com o fenómeno da globalização, também os lanifícios sofreram um abalo global em Manteigas e na Europa.

De um momento para o outro, uma indústria estável e qualificada viu-se abalroada e destruída. No princípio, mais de 200 pessoas e depois, mais de 300 viram ruir a sua estabilidade de vida.

Estes fenómenos sociais acontecem num abrir e fechar de olhos, mas só lentamente, depois de anos, conseguem ser superados, deixando, ainda assim, no intervalo, marcas socioeconómicas e demográficas profundas.

Foi grave, mas há que enfrentar e criar alternativas que deem resultados a médio e longo prazos.

Há que equacionar o aproveitamento das pessoas que sabem fazer e que podem ser um ativo imprescindível. Isto já está a acontecer com fábricas novas que inovaram sobre um produto lanígero tradicional, chamado BUREL e que já conquistou mercados nacionais e internacionais;

Há que encontrar produtos endógenos e industrializá-los, como é o caso da água de engarrafamento ou para efeitos medicinais, como acontece com a água termal. A água é um produto de excelência e qualidade únicas, em Manteigas.

Há que privilegiar a promoção das condições naturais do concelho, em ordem a que se tornem em produtos atrativos, em termos turísticos, particularmente virados para a aventura e natureza e, com eles, aportar gente e investidores focados na hotelaria e na restauração;

Há que criar e divulgar condições excecionais para os investidores:

Efetivamente, Manteigas é um concelho onde não se cobra derrama, o IMI é o mais baixo permitido por lei e os empresários têm apoios muito significativos para se instalarem e criarem novos postos de trabalho.

Foi recentemente criado um novo programa, o Empreende + que prevê apoios até dez mil euros por cada posto de trabalho criado, destinado a jovens com curso profissional ou licenciatura.

Pergunta-se: Isto dá resultado? Felizmente, sim. Além de mais de uma centena de postos de trabalho já apoiados, estão em curso novos e vultosos investimentos na área hoteleira.

Cá está, Manteigas como destino turístico: cerca de trezentas camas e quatro hotéis em marcha. Serão mais de 150 postos de trabalho diretos e indiretos.

Se a tudo isto juntarmos a dedução de 5% do IRS para os domiciliados fiscais e os apoios à natalidade e fixação de famílias, penso que a prazo teremos o casamento certo entre Demografia e Investimento”, conclui.

Vale Glaciário do Zêzere 02 - Autor CMM - Cópia

UM MANDATO VOLTADO PARA AS NECESSIDADES DAS PESSOAS

Ao longo dos tempos do poder autárquico, foram percorridos ciclos diferentes em função das necessidades:

Um primeiro, centrado na construção de infraestruturas essenciais, como fosse o abastecimento de água, o saneamento, os resíduos e acessibilidades de base e até iluminação pública.

Um segundo, que cruza com um terceiro, passa pelo desenvolvimento e, depois ou, em simultâneo, a promoção da qualidade de vida e qualificação territorial.

Genericamente, podemos afirmar que já passámos o ciclo primeiro e estamos avançados no segundo e terceiro.

Os nossos problemas prendem-se com a necessidade de termos mais pessoas, e pessoas cada vez mais qualificadas, jovens e empreendedoras.

O desígnio nacional, e, também o nosso, é a qualificação, a inovação e a internacionalização. Por isso, como já referimos, a nossa aposta está na formação e qualificação dos jovens. Não é por acaso que já apoiamos mais de 200 jovens com bolsas de estudo: Apostar nas pessoas é imperativo.

Pode faltar dinheiro para obras, mas não pode faltar para a reabilitação de residências, nem para Instituições de Solidariedade Social, para as Escolas ou para os Bombeiros e para a inclusão social.

É evidente que havendo dinheiro, principalmente vindo da Europa com os Fundos Comunitários, temos que manter e requalificar também as infraestruturas. Finalmente, ao fim de quatro anos, apareceram algumas poucas verbas que saberemos utilizar na Biblioteca, no Posto de Turismo, no Ribeiro da Vila, na Praça da Vila, no Centro de Energia Viva, no Centro de Ciência Viva, enfim no que for mais necessário e útil.

UM MARCO NO TURISMO DE NATUREZA

Foi referido que em Manteigas não há uma tradição de investidores, circunstância muito determinada pelo sistema que era secular da organização empresarial, do tipo mono indústria.

Entretanto, não deixa de ser verdade que a Serra da Estrela, marca nacional e internacionalmente reconhecida, foi e é um bom prenúncio para a atividade turística.

Manteigas, Coração da Serra da Estrela, território do Vale Glaciário do Zêzere e do aspirante Geopark tinha e tem condições únicas de uma natureza bem conservada e qualificada. Isto não chega. Era e é preciso transformar condições em produtos, fazer a sua promoção e conquistar mercados e investimentos. Isso foi e é o que fazemos.

Analisámos, hoje sabemos e confirmámos que está em crescimento uma nova tipologia de turistas. São turistas que querem desfrutar do ambiente e da natureza num elevado estado de pureza, a que se liga a saúde, o relaxamento, a observação e a qualidade de vida e fora do stress do dia-a-dia, a par da segurança.

Em Manteigas encontra-se tudo isto.

Temos 200 quilómetros marcados de tracks (trilhos) que convidam ao pedestrianismo e à contemplação, à aventura e ao desporto, desde a BTT e outras modalidades com bicicleta, orientação, geocaching, esqui, canyoning, ao parapente e até à escalada, etc.

O fluxo de turistas multiplicou por seis nos últimos anos e as empresas hoteleiras tiveram a mesma perceção que nós e isto deixa-nos esperançados e entusiasmados.

Ele é a Pousada de São Lourenço, ele é o Hotel da Fábrica, o Hotel de Santa Luzia, a Cadeia Vila Galé e foram também requalificados o Hotel e as Termas da Fundação Inatel. E porquê? Porque fizeram os seus estudos empresariais e acharam que valia a pena investir em Manteigas. Serão quatro unidades. É um novo marco em qualquer concelho deste país. É um novo paradigma.

RECANDIDATURA PELA POPULAÇÃO DE MANTEIGAS

Não é excesso de linguagem dizer que dediquei muitos dos meus melhores anos e do meu saber à minha terra. Foi uma escolha que muito me honra e de que gostaria continuar a ver resultados e projetos em andamento, ainda mais dirigidos aos meus conterrâneos.

Obras foram muitas, mas as pessoas merecem ainda mais no que entendo ser a próxima fase que é qualificar, inovar, desenvolver e rejuvenescer o nosso concelho.

Serão novos empregos nas novas empresas. Serão mais pessoas, mais jovens e novas oportunidades de criar riqueza.

Serão novas hipóteses de apoiar a formação em empreendedorismo, em articulação com as instituições de Ensino Superior e elevar o patamar de competências, colocando-as ao serviço de município e das pessoas.

Cá estaremos para celebrar o reconhecimento da Serra da Estrela como Geoparque pela UNESCO, para assistir ao arranque dos novos hotéis, à instalação e internacionalização do Centro de Energia Viva e do Centro de Ciência Viva.

Quem não se sentiria com vontade de continuar a ver frutificar estas realidades?

Ainda há mais, diz o autarca, para se conseguir e que já está em marcha, como seja o Plano de Pormenor para as Penhas Douradas que queremos transformar em Estância de Montanha e que pretendemos, venha a ser ligada a Manteigas através de meios mecânicos ou de um passadiço. Assim haja e haverá, acreditamos, empresas que o queiram construir e explorar.

Tudo faremos para que Manteigas seja um concelho de carbono zero e, inclusive, em termos de mobilidade. Para isso, alguns dos troços dos trilhos existentes serão preparados para pessoas invisuais e insuficientes motores, para o que já temos uma candidatura em curso.

Por Manteigas continuaremos, vale a pena!

Manteigas – Vale por Natureza

Manteigas é presente. É natureza que vive no agora.

É guardiã dos valores naturais que palpitam no momento.

É o reflexo natural de passados que dão vida ao futuro.

Manteigas é sentir o pulsar do coração da serra da Estrela.

Manteigas é natureza presente!

Manteigas é valor acrescentado. É o maior Vale Glaciário da Europa. É natureza a valer!

Manteigas vale pela paisagem! Vale pelo que guarda, preserva e protege. Vale pelo pulsar de cada dia e pelo palpitar do coração que contempla a Serra da Estrela.

Vale pela vibração das cores durante todo o ano.

Manteigas vale pelo ritmo da vida.

Vale pela água mais pura. Vale pela riqueza gastronómica.

Vale pelos produtos locais! Vale pelo saber recriado no burel!

Manteigas vale pelas pessoas.

Manteigas vale por si! Vale por nós! Vale por todos!

Vale a pena!

Diferenciação

Vale Glaciário; Natureza Genuína; Guardiã de Saberes; Harmonia todo o ano.

Valores

Vida Saudável; Qualidade de Vida; Respeito pela Natureza; Montanha; Grandiosidade

Biodiversidade; Pureza e Qualidade; Simplicidade; Genuinidade.

Benefícios/Vantagens

Turismo Ativo e de Natureza; Imagens/Fotografia; Paisagens; Produtos Endógenos e Tradicionais; Burel; Truticultura; Cortes; Turismo Desportivo; Alta Competição; Turismo Saúde; Turismo Científico.

Atributos/Recursos

Vale Glaciário; Penhas Douradas; Património Natural; Gastronomia Regional; Feijoca; Truta; Cabrito; Burel; Floresta; Água; Termas; Ar Puro; Parque Natural; Cão Serra da Estrela; Beleza e Facilidade de Acesso à Serra; Diáspora; Bandas Filarmónicas.