Em entrevista à SIC, o diretor do gabinete de risco soberano da agência explicou a decisão com a melhoria dos resultados orçamentais e aumentou a esperança de uma melhoria do rating em breve: “Tendo em conta que vemos um bom desenvolvimento em Portugal, podemos ver uma melhoria [da notação financeira] nos próximos doze meses”.

“Portugal tem demonstrado um nível muito significativo de força institucional e está prestes a tornar-se num caso de sucesso entre os países que foram alvo de resgate financeiro”, admite Dietmar Hornung, mostrando satisfação com os resultados obtidos no ano passado e nos primeiros meses de 2017.

Mesmo com elogios, a Moody’s mantém-se mais pessimistas do que o Governo e aponta para um défice de 1,8% do PIB este ano e para perdas de 2% em 2018 devido a um “relaxamento” da consolidação orçamental.

“Acho que o Governo tem consciência que Portugal sentiria pressão dos mercados se saísse desse caminho [da consolidação orçamental e redução do défice]”, reconhece o representante da Moody’s, concluindo com um recado para a Esquerda parlamentar: “Obviamente existem riscos orçamentais e estamos a acompanhar com muito interesse as atuais negociações do Orçamento do Estado de 2018”.