A Garland tem a expetativa de que a entrada nesta nova área de negócio lhe permitirá reforçar a consolidação da sua posição de referência no setor da Logística nacional. Na logística para o e-commerce a Garland pretende vir a tornar-se a médio prazo num dos principais players do mercado”, antecipava então Ricardo Sousa Costa, administrador do Grupo Garland responsável pela Garland Logística.

Passado um ano, “as previsões iniciais foram completamente ultrapassadas.” Com a área dedicada ao e-commerce completamente lotada, aquela que é uma das principais empresas de logística, transportes e navegação do país, com 241 anos de atividade em Portugal, está, neste momento, a requalificar as instalações do seu primeiro Centro Logístico da Maia, contemplando uma área adicional de 1.000 m2 para as atividades logísticas do e-commerce.

Farfetch adjudica logística à Garland

Atualmente com mais de uma dezena de clientes neste setor, dos quais se destaca a recente parceria com a Farfetch,  plataforma de comércio eletrónico que agrega 400 lojas de moda de luxo de todo o mundo, a Garland tem já angariado um potencial de faturação anual de cerca de 1 milhão de euros. “A entrada de um dos maiores players mundiais nesta área, como a Farfetch, fez com que tenhamos elevado o nível de exigência dos nossos processos que, sendo apoiados por sistemas de informação de última geração, estão plenamente à altura de satisfazer as necessidades deste tipo de negócio”, afirma Ricardo Sousa Costa.

Avaliada em mais de 1 bilião de US dólares, a gigante de comércio eletrónico, fundada e liderada pelo português José Neves, com clientes em 190 países, entregou à Garland a gestão da logística associada à sua atividade.

Face ao crescimento exponencial verificado, a Garland está já à procura de novos espaços para desenvolver esta área, “já que temos em negociação outros potenciais clientes.”

A tendência segue rumo a um crescimento cada vez mais significativo, pelo menos a julgar por dados que indicam uma cada vez maior apetência dos consumidores para comprar online. Segundo divulgou a Marktest em agosto, foram 4,52 milhões os portugueses que acederam a lojas online a partir dos seus computadores pessoais no segundo trimestre deste ano. O valor corresponde a um aumento de 3,7% face a igual período do ano anterior e representa 76,4% dos internautas em Portugal.

Preparação de encomendas à unidade, embalamento personalizado, gestão de stocks e expedição para o mundo inteiro são alguns dos serviços disponibilizados pela Garland na área do comércio eletrónico.

Garland Logística com crescimento 67% desde 2013

Criada em 1994, sendo a mais recente das áreas de negócio do Grupo Garland, a Logística é a que tem registado um maior impulso. Desde 2013, o seu volume de negócios cresceu 67%, devendo este ano ultrapassar os 10 milhões de euros. Além disso, de 19.000 m2 de capacidade em 2012, quando inaugurou o seu segundo Centro Logístico na Maia, tem atualmente perto de 70.000 m2 de capacidade logística em centros localizados em Abóboda (Cascais), Aveiro, Gaia, Maia (I e II), Marinha Grande e Mealhada.

Esta área de negócio tem sido também aquela que absorve maior investimento do Grupo nos últimos anos. Desde 2012, um ano após a entrada do FMI em Portugal, a Garland investiu aproximadamente 19 Milhões de Euros (M€) em infraestruturas e tecnologias de informação. Esta estratégia tem permitido ao grupo português manter uma média de crescimento de 6,8% nos últimos três anos.

Garland deverá faturar mais de 120 milhões

O Grupo Garland é líder em Logística, Transportes e Navegação, fornecendo soluções completas para a gestão de todas as necessidades da cadeia de abastecimento dos seus clientes. Em 2016, atingiu um volume de negócios de 112 milhões de euros. No primeiro semestre deste ano, a faturação foi já 5,3% superior à alcançada em período homólogo, rondando os 60 milhões. No final do ano, a empresa quer chegar aos 120 milhões de euros de faturação e a um crescimento superior a 5%; resultados que espera alcançar em função de um primeiro quadrimestre animado pelo crescimento das exportações nacionais sobretudo para mercados como o norte-americano. Com uma presença de 241 anos no mercado, a Garland é uma das mais antigas empresas portuguesas.

Com sede na Abóboda (Cascais) e seis delegações em Portugal (Aveiro, Maia, Marinha Grande, Palmela, Portimão e Vila Nova de Gaia), duas filiais em Espanha  (Barcelona e Valência) e uma em Marrocos (Casablanca), a Garland emprega mais de 350 colaboradores.

Vantagens do outsourcing na Logística

Para Ricardo Sousa Costa, administrador do Grupo Garland responsável pela unidade de negócio Logística, há óbvias vantagens no outsourcing logístico. “A mais importante de todas é o facto de permitir às empresas concentrarem-se no seu ‘core business’, ao mesmo tempo, que garantem um serviço logístico especializado. A consequência imediata é o aumento de competitividade. Isto, porque, por um lado, verifica-se uma maior flexibilidade tanto na transformação de custos fixos em variáveis, como numa maior capacidade de ajustar a capacidade de resposta operacional, e, por outro, os recursos são otimizados pela natural redução de custos e investimentos e pela obtenção de uma melhor performance logística”, explica o responsável.