presidente do Conselho Europeu pediu, esta terça-feira, a Carles Puigdemont para que não declare a independência da Catalunha e para que respeito a ordem constitucional em Espanha.

O pedido de Donald Tusk foi feito num debate do Comité das Regiões da União Europeia.

“Não anuncie uma decisão que tornará o diálogo impossível”, afirmou Tusk, dirigindo-se ao presidente do governo catalão.

Na sua declaração, Tusk salientou ser um “forte crente no lema da UE: ‘Unidos na diversidade’, enquanto membro de uma minoria étnica e um regionalista, enquanto homem que sabe o que é ser agredido por bastões de polícias”.

“Há uns dias, foi pedido ao primeiro-ministro [espanhol Mariano] Rajoy para encontrar uma solução para o problema sem usar a força, para procurar o diálogo, porque a força dos argumentos é sempre melhor do que o argumento da força”, referiu ainda o presidente do Conselho Europeu.