Após a primeira ronda, que durou dez horas, realizada no Cairo, as duas partes consideraram que as conversações foram “dominadas por um ambiente positivo”, tendo sido abordados em profundidade assuntos que procuram “aliviar o sofrimento e a difícil situação de vida da população de Gaza”.

Líderes das duas fações palestinianas rivais chegaram na noite de segunda-feira à capital do Egipto para iniciar um “amplo diálogo” que permita pôr em marcha um mecanismo de aplicação dos acordos de reconciliação alcançados nos últimos anos.

Estes recentes esforços de reconciliação, mediados pelo Egipto, começaram quando o movimento de resistência islâmica Hamas anunciou, em setembro, a dissolução do comité administrativo através do qual geria a Faixa de Gaza.

Na semana passada, realizou-se a transferência de grande parte dos Ministérios de Gaza, controlados pelo Hamas, para o Governo da Autoridade Palestiniana na Cisjordânia, que visitou o enclave costeiro pela primeira vez em quase três anos.

O Hamas assumiu o controlo de Gaza em 2007, após vencer as forças lideradas pelo Fatah do Presidente da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), Mahmud Abbas. Desde então, a ANP tem governado apenas os enclaves autónomos da Cisjordânia ocupada por Israel.

A atual ronda de negociações entre o Hamas e o Fatah termina na quinta-feira, estando prevista uma conferência de imprensa de ambas as partes a informar dos acordos alcançados, indicou fonte próxima das negociações citada pela agência de notícias espanhola Efe.