No capítulo das fábulas infantis, os irmãos Grimm são uma referência incontornável. As histórias destes dois autores do século XIX, como a Cinderela, Branca de Neve ou Rapunzel, nasceram do folclore alemão e sofreram, ao longo dos anos, várias mutações que lhe retiraram o lado mais sombrio. Tiago Azevedo arquiteto e pintor português, quer reavivar essa componente por via da sua pintura e, através do seu livro, levá-la até ao público geral.

‘Os Contos dos Irmãos Grimm’, lançado esta quinta-feira no Palácio Foz, em Lisboa, é um conjunto de onze contos daqueles autores alemães, traduzidos na íntegra dos originais e ilustrados por uma série de quadros a óleo de Tiago Azevedo, sobre estas personagens das fábulas, com a intenção de “voltar a colocar a histórias no seu ambiente de origem”. “E, claro, mostrá-las da forma como eu sempre as vi”, acrescenta o artista, em conversa com o Notícias ao Minuto.

A arte de Tiago Azevedo, enquadrada no surrealismo pop, é marcada pelo uso de “técnicas clássicas e misturadas com componentes contemporâneas, da cultura pop”, como a música ou a moda. A sua inspiração, para esta série de retratos vem do mundo fantástico, como o descrito pelos irmãos Grimm ou por Hans Christian Andersen (que poderá ser tema de um próximo capítulo).

As pinturas do autor também vão beber, no entanto, à arte sacra, existindo já um conjunto de dez personagens da Bíblia que integrarão uma nova série.

“Reduzi o meu horário enquanto arquiteto para me poder dedicar mais à pintura”

Tiago Azevedo nasceu nos Açores e foi estudar arquitetura para Lisboa, numa altura em que a pintura não era bem vista como uma carreira profissional viável. “Apesar de ter aquela ideia de que era um curso bastante técnico, dentro da arquitetura consegui encontrar ferramentas que me conseguiram aproximar bastante da pintura”, sublinha, destacando, no entanto, que a pintura sempre foi a sua verdadeira paixão.

Uma vez na Alemanha, já a trabalhar, arriscou. “Reduzi o meu horário enquanto arquiteto para me poder dedicar cada vez mais à pintura”, relembra, acrescentando que “o folclore alemão começou a despertar a paixão pelo fantástico e pelos contos”. O resultado é a série de retratos que ilustra o livro.

Tomou o seu rumo, foi tomando proporções cada vez maiores, fui tendo cada vez mais sucesso até chegar a um ponto em que a pintura tomou conta da minha vida. Não foi de um dia para o outro, foi um processo que demorou quase dois anos

Aos 32 anos, Tiago já expôs em salas de Paris (no Carrossel do Louvre), Nova Iorque ou Cannes. Foi convidado, inclusive, a expor na Galeria La Pigna, no Vaticano. “O convite surgiu depois do Louvre, essas exposições mudaram a minha carreira completamente. E consegui-as através das redes sociais”, explica-nos.

“A minha obra começou a ficar conhecida na internet e depois surgiram convites para expor no Carrossel do Louvre, convites para Nova Iorque e, a partir de conhecimentos, surgiu então esse convite para expor no Vaticano”, acrescenta.

Notícias ao MinutoAlgumas das exposições feitas pelo autor© Imagens cedidas pelo autor

Questionado sobre se ambiciona regressar a Portugal, Tiago não hesita: “É uma coisa que vislumbro no horizonte mas, antes disso, ainda há muita coisa para acontecer”.

“Tenho algumas exposições agora previstas para Portugal, nomeadamente na minha terra natal, nos Açores. Seria uma honra também expor em sítios como o CCB, como Serralves, mas a nossa terra natal será sempre especial. Regresso em definitivo, para já, não”, concretiza.

Notícias ao Minuto‘Os Contos dos Irmãos Grimm’© Imagens cedidas pelo autor

O livro, editado pela Chiado Editora, é lançado, hoje, dia 16 de novembro, no Palácio Foz, em Lisboa, e custa 16 euros. No seu canal de YouTube, Tiago Azevedo publica com frequência vídeos com as suas técnicas de pintura, bem como biografias dos grandes mestres de arte, desde Frida Kahlo até Salvador Dali e Albrecht Dürer, numa série de episódios dedicados à história de arte.