Se é utilizador da Uber é melhor que esteja atento à sua atividade na aplicação de transporte e ao extrato do cartão de crédito. Isto porque conta o Independent que uma série de utilizadores da Uber está a queixar-se de terem sido cobradas viagens que nunca foram feitas.

O caso ganha contornos insólitos quando se verifica que a maioria dos utilizadores vítima deste erro parece residir em Singapura, com as viagens a terem lugar em outros países como os EUA e o Reino Unido.

Uma das utilizadores a queixar-se do caso é Daphne Maia Loo, que publicou na sua página de Facebook uma fotografia das suas transações bancárias e que mostra uma transação de valor equivalente a cerca de 174 euros. Loo garante que há outras 15 transações semelhantes.

Confrontada com este caso, a Uber reagiu por via de um representante que procurou “garantir ao público que a informação de pagamento é encriptada”, procurando assim deitar por terra qualquer hipótese de ter existido acesso ilícito aos dados dos clientes. Desta forma, a Uber apela aos utilizadores que “mantenham bons hábitos na salvaguarda da informação pessoal de segurança”.