“Há seis anos que o Chamath não está no Facebook. Quando o Chamath estava no Facebook nós estávamos focados em construir novas experiências de redes sociais e fazer crescer o Facebook em todo o mundo. O Facebook era uma empresa muito diferente na altura e, à medida que fomos crescendo, percebemos que as nossas responsabilidades também cresceram. Levamos o nosso papel muito a sério e estamos a trabalhar muito para evoluir.

Fizemos muito trabalho e investigação com especialistas externos e académicos para perceber os efeitos que o nosso serviço tem no bem-estar e estamos a usá-lo para informar [a equipa responsável pelo] desenvolvimento do produto. Também estamos a fazer mais investimentos significativos em pessoas, tecnologia e processos e – como disse o Mark Zuckerberg na última chamada com investidores – estamos dispostos a reduzir a nossa margem de lucro para garantir que os investimentos certos são feitos”.

Chamath Palihapitiya não foi o único ex-executivo do Facebook a criticar abertamente a rede social nos últimos tempos. Também Sean Parker, o conhecido primeiro presidente da empresa, acusou a rede social de explorar “vulnerabilidade na psicologia humana”.