Em comunicado, a Uber refere que, a partir de hoje e até sexta-feira, a empresa definiu um plano de iniciativas solidárias para contribuir para a missão da Re-food, com os motoristas e parceiros que viajam com a aplicação, e que aceitem juntar-se à iniciativa, a contribuir com o seu tempo para ajudar os voluntários que fazem a recolha e entrega de alimentos em Lisboa, no Porto e em Faro.

“Esta parceria irá permitir que os nossos utilizadores contribuam para uma missão solidária nas cidades onde operamos atualmente. Para além disso, acreditamos que ao ligarmos motoristas e voluntários Re-food podemos aumentar o número de refeições entregues às famílias portuguesas. Algo que só é possível pelo tempo e solidariedade da comunidade de motoristas que aderiu muito positivamente a esta iniciativa”, referiu Rui Bento, Diretor Geral da Uber para a Ibéria, citado no comunicado.

A missão da Re-food – associação sem fins lucrativos – é agregar comida em excesso de cafés, restaurantes, fábricas de produtos alimentares e outros estabelecimentos e distribuir por famílias carenciadas.

A Uber irá também doar viagens para ajudar na operação, garantindo que mais refeições são recolhidas e distribuídas pelas famílias portuguesas que necessitam.

A parceria Uber/Re-food vai ainda mais longe com a criação de um restaurante virtual na aplicação Uber Eats com o nome Re-food. Os artigos do menu são simbólicos e servem apenas para representar o valor de uma doação, sendo o valor monetário final revertido integralmente a favor da associação.

O restaurante vai estar disponível até dia 22 de dezembro entre as 12:00 e as 20:00 para quem quiser contribuir.

“O movimento Re-food está muito feliz por celebrar esta parceria. Primeiro, parte da nossa missão é a inclusão de toda a comunidade e a Uber representa uma força inovadora e mobilizadora, operando em muitas das mesmas comunidades onde a Re-food já está a servir. Deslocar para recolher boa comida é essencial para o trabalho da Re-food e a total disponibilidade da Uber e da comunidade de motoristas irá aumentar a nossa capacidade de servir quem mais precisa”, disse Hunter Halder, fundador da associação Re-food.

LUSA