Teatro Rivoli comemora 86.º aniversário com 16 horas de programação

O Teatro Municipal Rivoli, no Porto, vai comemorar, no sábado, o 86.º aniversário com 16 horas de programação, entre teatro, dança, música e outras atividades, num dia de entrada gratuita, que só termina pelas 4h00 de domingo.

296

diretor do Teatro Municipal do Porto, Tiago Guedes, explicou, em declarações à agência Lusa, depois da apresentação da nova programação, a 10 de janeiro, que as atividades em torno do aniversário compõem “uma grande festa aberta à cidade”, uma vez que todas as atividades são de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhetes.

“É um dia de portas abertas, em que as pessoas podem estar em contacto com as várias disciplinas que apresentamos ao longo do ano, uma espécie de pequena súmula do que vai acontecer”, acrescentou.

O “espetáculo de charneira” da celebração, referiu Tiago Guedes na apresentação, é ‘El Baile’, pelas 21:30, da francesa Mathilde Monnier, apresentado em estreia nacional depois do trabalho da coreógrafa em Buenos Aires, em conjunto com o escritor argentino Alan Pauls.

A dupla reinventou a peça ‘Le Bal’, apresentada em 1981 pela companhia do Théâtre du Campagnol (e que então serviu de base ao filme homónimo de Ettore Scola), “a partir de uma “visão histórica desse momento”, atravessando o tempo entre a Buenos Aires de 1978, quando o país, sob plena ditadura, abria o Mundial de Fórmula 1 e acolhia o Campeonato Mundial de Futebol, e os dias que correm.

Numa programação que envolve mais de uma centena de artistas, o dia conta com um total de dez projetos de áreas diferentes, com o encenador André Murraças a apresentar, pelas 15h00, o musical ‘Coro’, cujo elenco inclui quatro funcionários do Rivoli, da bilheteira, limpeza, bar e manutenção.

Durante a manhã e o início da tarde, estão programadas várias atividades para crianças e famílias, entre oficinas sobre teatro e peças de teatro, como ‘Poemas de Pé para a Mão’, uma encenação de Joana Providência que funciona como “uma viagem de palavra em palavra”, apresentado pelas 11h00 e 15h00.

Pelas 12h00, é inaugurada a instalação sonora ‘Soará a silêncio, o som de uma revolução dentro de um ‘bunker’?’, com um momento performativo a assinalar a mostra da obra de Maria Trabulo.

O dia de aniversário marca ainda a apresentação do sexto Caderno do Rivoli, iniciativa iniciada com um número zero (0), em 2002, por iniciativa da então diretora Isabel Alves Costa (1946-2009), primeira diretora do Rivoli, entre 1993 e 2007, desde a reabertura como teatro municipal.

Depois de interrompida a produção, em 2004, o quinto caderno foi reeditado em 2017, numa recuperação comemorativa do 85.º aniversário, com o sexto, subordinado ao tema ‘Bodied Spaces – discursos cruzados entre corpo e espaço’, a ser apresentado pelas 15h30.

Com coordenação editorial de Gabriela Vaz-Pinheiro, o caderno foi publicado pela Imprensa Nacional Casa da Moeda depois de “um projeto do Teatro Municipal do Porto ao longo do ano de 2016, com várias sessões em instituições de ensino da cidade”.

Também há espaço para uma performance para seis bailarinos de Tales Frey, ‘F2M2M2F x 6’, e dois momentos de apresentação de dois artistas associados do TMP, Marco da Silva Ferreira, com ‘Um solo sobre Brother’, e Jorge Andrade, com ‘Jorge Andrade conta a história da mala voadora’, ambos marcados para as 16h30 e 18h00.

Na música, o destaque vai para ‘Bruta’, projeto de música criado por Ana Deus e o francês Nicolas Tricot, para trabalhar poemas de autores portugueses como Miguel Torga, Luís Miguel Nava, Bocage, Camilo Pessanha ou Manuel Laranjeira, numa atuação marcada para as 19h00.

O ciclo ‘Understage’ do Teatro Municipal continua com um concerto, pelas 23h30, dos portugueses Gala Drop, com várias peças do coletivo Oficina Arara a comporem o cenário, sob o selo da “reinterpretação dos métodos clássicos de reprodução artística”.

A noite termina com três DJ a animarem a festa, até às 4h00 da manhã de domingo, com Affreixo, André Tentugal e Pedro Tudela.

LUSA