1º lugar – Holanda – Pontuação: 924. De acordo com o estudo, o país conta com uma grande variedade de serviços de seguros de saúde, que competem entre si, e tem o melhor sistema estruturado para a participação do paciente em decisões de saúde e elaboração de políticas na Europa.

2º lugar – Suíça – Pontuação: 898. A Suíça goza de uma sólida reputação de excelência em saúde há muito tempo, especialmente, pelos grandes investimentos na área.

3º lugar – Dinamarca – Pontuação: 864. Entre os grandes avanços, o estudo aponta que o país fez um intenso progresso na redução na taxa de mortalidade decorrente de doenças cardíacas.

4º lugar – Luxemburgo – Pontuação: 850. O país, que tem um dos maiores PIB per capita do planeta, tem um sistema de saúde dos mais eficientes e completos.

6º lugar – Finlândia – Pontuação: 842. O ranking da EHCI indica que está entre campeões europeus com grandes resultados a um custo baixo e justo. A Finlândia é conhecida por ser líder em cuidados de saúde com valor agregado.

7º lugar – Alemanha – Pontuação: 836. Segundo a pesquisa, a Alemanha é, tradicionalmente, descrita como o país mais livre de restrições e com um sistema de saúde orientado para o consumidor na Europa. Os pacientes podem procurar quase qualquer todo o tipo de cuidados que desejam onde quer que o desejem.

8º lugar – Bélgica – Pontuação: 832. Considerado um dos sistemas de saúde mais generosos na Europa, o país subiu em qualidade, segundo o relatório de dados.

9º lugar – Islândia – Pontuação: 830. Devido à sua localização isolada no Atlântico Norte, o país foi forçado a construir um sistema de serviços de saúde expressivo, com capacidade maior até para atender os atuais 30 mil islandeses.

10º lugar – França – Pontuação: 825. O sistema francês é tecnicamente competente e eficiente, conforme o relatório da Health Consumer Powerhouse.

11º lugar – Áustria – Pontuação: 816. O país desceu no ranking com o indicador aborto: a prática lá não é ilegal, mas também não é realizada no serviço público de saúde, apontou o estudo.