Os especialistas acreditam que tal deverá ocorrer porque as mulheres são naturalmente menos egoístas.

Os últimos dados estatísticos europeus de doação de órgãos, recentemente revelados, indicam que 36 por cento das mulheres clinicamente saudáveis doam um rim ao parceiro.

Todavia, apenas sete por cento dos homens aprovados para o procedimento doam, por sua vez, um rim à esposa.

A antiga presidente da Sociedade Internacional de Endocrinologia, Adeera Levin, atual professora na University of British Colombia, no Canadá, explica: “É difícil de identificar ao certo o motivo porque isto acontece. As pesquisas realizadas sugerem que regra geral as mulheres são mais altruístas e mais recetivas a a preservarem a família”.

A investigação científica foi divulgada na publicação Visceral Medicine. E aponta ainda que, em 2014, dois terços de todos os doadores de rins na Europa foram mulheres.

Porém, a médica britânica Lisa Burnapp, alerta para outras possíveis explicações para a discrepância de doação entre os géneros: “Por exemplo, se um casal têm filhos e se o homem quer doar um rim ou um outro órgão à mulher, esta poderá ter anticorpos no organismo, devido às gravidezes anteriores, que poderão rejeitar o órgão do parceiro”.

“Contudo, se invertermos a situação a mulher conseguiria, nesse caso, doar um órgão ao parceiro sem qualquer complicação física para ambos”, afirma.