Qual é o teu “Era uma vez”?

Storytelling! Um conceito disruptivo entre os homens e mulheres do Marketing, que ganhou relevância há uns anos.

1184

Existem inúmeros case studies de storytelling de sucesso que são apontados como referências nos espaços em que se discute e ensina a metodologia do storytelling.
Concretamente no marketing farmacêutico, o storytelling desempenhou um papel interessante mas, por diversas razões, de pouco interesse neste contexto, foi de certo modo esquecido, abandonado. Provavelmente, foi por alguns considerado uma perda de tempo ou dispêndio de energias, sem retorno visível de modo óbvio.
Recentemente, voltou-se a falar de storytelling como uma estratégia de trabalhar a forma como se apresentam e se comunicam produtos. Talvez se tenha percebido que os conteúdos não diferem muito no ambiente concorrencial, então voltou a olhar-se para a forma como estes são “trabalhados”.
Antes de qualquer outra referência sobre o papel do storytelling, é importante referir que falamos de algo que se faz há milhares de anos, remetendo-nos para o tempo em que os homens e mulheres (também do Marketing) viviam em cavernas. Ou seja, desde sempre, uma boa história é sempre bem recebida e proporciona bons momentos.
O storytelling adequa-se quando existe uma narrativa a que queremos dar uma forma específica. Conceptualmente temos o conteúdo, personagens, conflitos, resoluções, etc, numa vertente mais académica.
Recentemente, contava-me a minha amiga V que frequentou e adorou um workshop sobre storytelling. Esta foi a minha motivação para partilhar a experiência que estou a vivenciar com a minha equipa, o momentum em que estamos a criar um novo projecto profissional, contando a nossa história, juntando personagens, médicos, doentes, todos os profissionais de Saúde com quem nos cruzamos a passam a fazer parte do nosso storytelling.
O que fazemos é tão somente sustentar o nosso trabalho numa variável fundamental para que o storytelling tenha eficácia: autenticidade.
Quando falamos da nossa empresa, contamos a sua história, com tudo o que ela nos diz, os desafios, as decisões, as vitórias e as suas celebrações. E os seus heróis, colaboradores e clientes, entram nesta história e tornam-na sua.
Quando falamos das soluções terapêuticas que desenvolvemos, também cada uma delas tem uma história; que começa por um propósito, o de encontrar uma forma de tratar doentes. E contamos os conflitos, as frustrações, os obstáculos, mas também a tenacidade das pessoas que finalmente encontraram essas formas de tratar a doença.
E chegamos ao dia em que dizemos ao mundo: “Era uma vez um mundo onde vivam pessoas que estavam doentes”. E nós, juntámo-nos e traçámos um caminho que conduziu à forma como poderemos ajudar essas pessoas a ter uma vida com Saúde.
E, sem hesitações, assumimos o compromisso de, todos os dias, usarmos da mesma palavra: “Era uma vez…”