Investigação com Arte

Para responder a esta questão estivemos à conversa com Márcia Vilarigues, Diretora da Unidade de Investigação da VICARTE, uma unidade de investigação que tem como propósito mostrar o valor do vidro e da cerâmica, quer como materiais de expressão artística, quer em termos de património vítreo e cerâmico.

270

A VICARTE é uma parceria da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Inclui ainda membros da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e da Escola Superior de Arte e Design do Instituto Politécnico de Leiria.

Em 2009, quando surgiu o Mestrado em Arte e Ciência do Vidro em associação com a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, este, catapultou uma dinâmica maior em torno da comunidade e da própria investigação. Com este curso pretende-se introduzir o vidro como material de modo a explorar as suas potencialidades para utilização em arte.

Em 2013, após um novo processo de avaliação das unidades de investigação científica, houve um período de reflexão interna sobre o caminho da VICARTE. “Foi um período de transição entre os projetos de investigação científica que já tínhamos e as novas colaborações e linhas de investigação, mas sem existir uma rutura naquilo que é a VICARTE”, começa por explicar Márcia Vilarigues.

UNIR O PRESENTE E O PASSADO

Com duas áreas delineadas, o estudo de vidros históricos respeitantes ao património cultural e o desenvolvimento de novos vidros direcionados para a arte, a VICARTE tem vindo a acolher novos membros direcionados para o estudo da cerâmica. “Ainda há pouco trabalho de cerâmica nesta unidade de investigação, mas temos diversos trabalhos que envolvem a comunidade e com os novos membros que integraram a unidade em 2013, demos início a novos projetos”, adianta Márcia Vilarigues, Diretora da Unidade de Investigação da VICARTE desde 2011, acrescentando que o vidro e a cerâmica ainda são áreas de estudo pouco valorizadas em Portugal.

“Existe um grande desconhecimento dos objetos de vidro nas nossas instituições, sobre o ponto de vista histórico”, reforça, ainda, a nossa entrevistada.

Este é, portanto, um dos maiores desafios para a VICARTE, a valorização e a educação social nestas áreas respeitantes ao conhecimento e tradição armazenados ao longe de séculos. É necessário manter a herança cultural das regiões.

Outros dos desafios passa pelas restrições da União Europeia no que diz respeito a químicos, considerados materiais tóxicos para a saúde dos vidreiros, como o arsénio ou o cádmio.

Com diversas parcerias com artistas internacionais e, ainda, a receber alunos e investigadores estrangeiros, Márcia Vilarigues realça que é importante que equipa da VICARTE funcione como um todo, tendo em conta a sua multidisciplinaridade. “O verdadeiro desafio passa por conseguir corresponder à transversalidade das investigações nesta unidade e fazer com que a equipa funcione de forma unânime. Felizmente, temos sido bem-sucedidos nesta matéria”, explica a nossa entrevistada, acrescentando que “queremos fazer um trabalho com os artistas e não para os artistas”.

A VICARTE é responsável pelo Mestrado em Arte e Ciência da Cerâmica e do Vidro (anterior mestrado em Arte e Ciência do Vidro) e pela supervisão de mestrados e doutoramentos em conservação e restauro de vidro e cerâmica na FCT-NOVA. É, ainda, membro do curso de Doutoramento em Conservação e Restauro do Património Cultural (CORES) financiado pela FCT/ MCTES e o curso de Doutoramento em Belas-Artes (FBA/UL)  em diversas especialidades.

Estimulando a partilha de conhecimento, experiências e metodologias, a VICARTE tem-se dedicado à promoção da transdisciplinaridade aplicada aos materiais vidro e cerâmica.

De facto, atendendo à importância das sinergias entre as unidades de investigação e o universo empresarial/indústria para a aplicação do conhecimento científico, a verdade é que é necessária esta e mais ciência.

CRIATIVIDADE E MATERIAIS CONTEMPORÂNEOS

Esta linha de investigação representa o aspeto mais transdisciplinar da VICARTE, unindo cientistas, artistas e designers. Foca-se na arte e design contemporâneos explorando o vidro e a cerâmica, no desenvolvimento de novos materiais que abrem novos caminhos para artistas e simultaneamente estudando as propriedades físico-químicas desses mesmos materiais. Finalmente, este grupo focaliza-se também em atividades que permitam o desenvolvimento de um produto de design e colaboração com a indústria.

PATRIMÓNIO CULTURAL

Atividade dedicada ao estudo e conservação do património vítreo e cerâmico, aplicando as ciências físico-químicas em conjugação com a arqueologia e a história de arte, com especial ênfase na arqueometria e história das técnicas de produção artística. A investigação desenvolvida por este grupo serve museus e agentes responsáveis pela herança cultural, bem como público em geral, ampliando o conhecimento da história da produção de vidro e da cerâmica e permitindo a implementação de medidas de conservação inovadoras.