Hoje é CEO da Peça 21, até fundar a empresa que história pode ser contada sobre o seu percurso?

Após terminar a minha licenciatura comecei a trabalhar na área da Engenharia Civil numa empresa hoje nossa concorrente. Desde cedo senti a vontade de criar o meu próprio negócio, e assim, em conjunto com o meu sócio, que também trabalhava no mesmo gabinete e sentia a mesma necessidade e vontade, criámos a Peça21 em 2010.

A empresa nasce desta vontade de termos uma marca nossa, com a qual nos identificássemos.

O que a levou a escolheu engenharia para construir uma carreira?

Desde cedo tive queda para os números e para a resolução de problemas, assim quando chegou a altura de optar por um curso superior, as ciências foram a opção natural. Tornei-me Engenharia Civil, pois sempre gostei de ver os números tornados em algo palpável, ou seja, ver o projeto tornado em algo concreto, criar soluções para os problemas que vão surgindo quer em projeto quer em obra, sempre foi uma ambição e hoje é uma paixão.

E o mais importante que é no final da execução de um projeto ou obra ver que o nosso cliente ficou satisfeito com as soluções apresentadas e com o trabalho realizado.

Com que fatores surge a Peça 21 no mercado que marcam a diferença?

O nosso fator diferenciador em relação ao mercado é, por um lado, o foco que colocamos no nosso cliente e na satisfação das suas necessidades e, por outro lado, o atendimento personalizado que lhe é dispensado.

O cliente é acompanhado desde a primeira reunião pelo elemento da equipa que irá coordenar o seu projeto até ao momento da entrega do mesmo. Neste momento estamos a desenvolver uma plataforma informática, através da qual o cliente pode, em qualquer momento, saber em que fase está o seu processo.

A engenharia civil foi durante muito tempo tida como uma profissão masculina, alguma vez sentiu esse tipo de preconceito?

Algumas vezes sim. Sobretudo no início do projeto senti que a minha opinião não era tão valorizada, mas no decorrer do mesmo sentia que o cliente passava a valorizar-me e a confiar no meu trabalho. Na Peça21 somos três engenheiras e um engenheiro e sentimos que nos tratamos da mesma forma e com mesmo respeito.

Que fatores considera imprescindíveis para que se alcance o sucesso?

Os fatores imprescindíveis como a honestidade, o rigor e a transparência.

A honestidade na forma como aconselhamos o nosso cliente. Rigor na forma como executamos os nossos projetos e transparência no trato com o cliente.

Ser mulher e engenheira é…?

É como em qualquer outra profissão, termos de demonstrar aquilo que valemos…É ser dona de casa, mãe, mulher…coordenar e organizar uma série de tarefas!