WWF lamenta que Portugal continue a deixar degradar a água que bebe

A organização ambientalista WWF lamentou hoje que Portugal continue a "ignorar leis que asseguram a qualidade da água", apontando o estado "chocante" das massas de água doce na Europa revelado hoje num relatório da Agência Europeia do Ambiente.

283

“Portugal é um dos países deficitários na aplicação das leis ambientais e isso reflete-se, por exemplo, na qualidade da água dos rios onde tomamos banho no verão e na água que rega os alimentos que consumimos”, afirmou em comunicado a diretora da Associação Natureza Portugal (ANP), a representação portuguesa da WWF, Ângela Morgado.

A Wold Wide Fund for Nature (WWF, Fundo Mundial para a Natureza) afirma não ter tido surpresas com os resultados do relatório, porque os estados membros da União Europeia “andam a contornar os seus compromissos para com as leis da água há quase duas décadas”.

O resultado, considera a organização, tem sido uma maior deterioração dos rios e os lagos, para os quais os países europeus não vão atingir as metas propostas até 2027.

“Na Europa, o estado das águas é particularmente mau em muitos países da Europa central, como a Alemanha, Holanda e Bélgica, com maior densidade populacional e agricultura mais intensiva. Como resultado, a maioria das massas de água ainda não consegue atingir um bom estado ecológico”, refere o comunicado da ANP/WWF.

A organização pede “esforços redobrados para proteger e restaurar os recursos hídricos da Europa” e defende que o relatório deve ser visto como “um alerta final”.

LUSA