Ganhar bem ou mal é subjetivo. Há vários fatores a ter em consideração, tais como, por exemplo, o país onde se vive ou o número de pessoas que constituem o agregado familiar. Ora, o Eurostat disponibilizou um simulador onde é possível perceber se determinada pessoa ganha bem ou mal, mediante o contexto em que está inserido.

Se recuarmos no processo e considerarmos o mesmo agregado familiar mas em França o cenário já é diferente: “o seu rendimento familiar está entre os 10% mais baixos de França”. Este é apenas um dos exemplos que pode ser traçado através do simulador disponível aqui.

O Eurostat deu também a conhecer que o rendimento disponível das famílias cresceu 16% na União Europeia (UE) entre 2000 e 2009, tendo depois recuado cerca de 3% entre 2009 e 2013 – durante a crise financeira – para depois voltar a acelerar 5% entre 2013 e 2016.