Por isso, também não será igual para toda a população feminina os métodos que melhor resultam para contrariar ou prevenir tais efeitos, tal como a menstruação não é ‘sofrida’ por todas da mesma forma.

Contudo, e ainda que até aos 50 anos poucas são as que pensem em formas de prevenção da menopausa que está para vir, há certos aspetos a ser tidos em conta atempadamente por qualquer mulher para uma transição mais suave entre fases.

Assume-se que a mulher está em fase de menopausa quando deixa de ter a menstruação por um ano. Quanto à forma como o recebe, dependerá de questões genéticas, metabólicas e de estilo de vida, e é relativamente a esta última que um grupo de estudo dos Estados Unidos se baseou para listar as dicas que aqui se refere.

Em termos de alimentação, deve-se preferir peixes oleosos, como o salmão ou a sardinha, e legumes. Mais especificamente, importa manter o consumo de vitamina B6 e zinco, que tal como muitos legumes contam com propriedades antioxidantes, o que atrasa a menopausa e reduzo risco de problemas cardiovasculares.

A par da alimentação, é essencial que se mantenha uma prática regular de exercício físico e se evite o ganho de peso – o primeiro passo para evitar osteoporose e doenças cardiovasculares.

Estas conhecidas medidas, cada vez mais aconselhadas para inúmeros casos, são tão mais eficazes quanto mais tidas em conta e apresentam-se no referido estudo como essenciais para uma menopausa menos agressiva e livre de complicações.