As doces dores de crescimento

Texto de Miguel Coelho, CEO da Procare.

211

Há algum tempo, partilhei o novo projeto profissional que me apaixonou e onde assumi a responsabilidade de dar corpo em Portugal.

Conheci, nessa altura, as razões do início desta empresa no mundo, as pessoas que a fizeram nascer e crescer e senti de imediato que podia fazer parte delas.

Tudo começou a partir da clara perceção das patologias onde existiam lacunas terapêuticas ou onde foi identificado um evidente espaço para melhorar as opções existentes. Estes pressupostos, associados a uma forte convicção de desenvolver soluções seguras, sustentaram o nascimento do projeto no mundo.

O início de tudo foi passado a trabalhar arduamente nos balcões dos laboratórios, a desenvolver um portfólio de terapêuticas que respeitassem as premissas da empresa.

Viemos para Portugal, para apresentar as soluções terapêuticas que têm por objetivo melhorar a Saúde e Bem-Estar da Mulher, área em que a empresa se tornou expert na sua atividade de Investigação & Desenvolvimento. O Conhecimento e Experiência das doenças do foro ginecológico foram a pedra de toque para iniciar o projeto da empresa.

Aquando do nascimento da empresa em Portugal, tive a arte e o engenho (deixando de parte a boa sorte) de encontrar um grupo de pessoas que comigo assumiram o risco de lançar em Portugal uma startup na área farmacêutica.

Dizíamos, na altura, que tudo tínhamos para que desse certo, mas o frio que sentimos no estomago quando demos os primeiros passos, motivou-nos para assumir cada dia como um desafio a nós próprios, no sentido de fazer passar a Visão e os Valores que suportam este projeto.

Atualmente temos à disposição das doentes e de todos os profissionais de Saúde um arsenal terapêutico cujas características o tornam singular. A boa recetividade à nossa presença no mercado e a aceitação da qualidade dos nossos produtos confirmam o bom trabalho que estamos a desenvolver.

Paralelamente, iniciámos um ambicioso programa de desenvolvimento clínico, cujo objetivo é trazer aos profissionais de Saúde e aos doentes a evidência da qualidade dos nossos produtos. Este é um processo que seguramente acompanhará toda a vida da empresa, uma vez que, enquanto responsáveis por processos de Investigação & Desenvolvimento, faz parte do posicionamento da empresa identificar e publicar mais e melhor Evidência Clínica. É nestes dados que assenta toda a nossa Comunicação.

A forma como comunicamos quem somos e o que fazemos merece também uma referência neste momento de balanço inicial. Na verdade, demos vida em Portugal a uma empresa que desenvolveu um conjunto de soluções terapêuticas para a Saúde da Mulher. Contámos e continuamos a partilhar a história de cada um dos produtos, e da empresa. Lançámos a primeira pedra, que ficou sólida e disso sentimos um profundo orgulho.

Quem trabalha comigo conhece as expressões que repito insistentemente e que, mais do que mensagens estereotipadas de motivação, traduzem o sentimento e a paixão que acredito serem alguns dos ingredientes que fazem da nossa, uma empresa de alta performance. Como diria alguém, “somos aquilo que sentimos e não apenas o mero resultado do que nos ensinaram”. São palavras que nos fazem sentir bem quando as ouvimos, mas muito reconfortados quando as dizemos.

São estes os momentos em que sentimos o doce sabor das dores do nosso crescimento.