UE ajuda população afetada pelo sismo na Indonésia com 150 mil euros

A Comissão Europeia informou hoje que alocou 150.000 euros de ajuda de emergência para auxiliar as comunidades afetadas pelo sismo de domingo em Lombok, no sul da Indonésia, que causou pelo menos 131 mortos.

93
© Reuters

De acordo com o executivo comunitário, a verba ajudará a Cruz Vermelha da Indonésia na distribuição de material para a construção de abrigos temporários e de bens de primeira necessidade, como cobertores e produtos de higiene, e beneficiará 4.000 pessoas nos distritos mais afetados pelo sismo.

“A assistência também assegurará o acesso a água potável, serviços de higiene, cuidados básicos de saúde, assim como apoio psicológico às famílias afetadas”, precisa a nota da Comissão Europeia.

Bruxelas anunciou ainda ter entregado às autoridades indonésias os primeiros mapas elaborados através do sistema de emergência da União Europeia (UE) de navegação por satélite Copernicus, e ter ajudado cerca de 1.000 turistas europeus através dos serviços consulares.

Cerca de sete mil turistas foram retirados das ilhas Gili, perto de Lombok, onde um sismo de magnitude 6,9 provocou, no domingo, pelo menos 131 mortos e centenas de feridos.

O sismo, com o epicentro a dez mil metros de profundidade, ocorreu uma semana após um outro abalo também na ilha turística de Lombok, que provocou 17 mortos e mais de 300 feridos.

Em 2004, um sismo na costa norte da ilha indonésia de Sumatra originou um tsunami que provocou pelo menos 280 mil mortos em 12 países banhados pelo Índico, a maioria na Indonésia.

A ilha de Lombok, dominada pelo vulcão Rinjani, encontra-se a leste de Bali, o principal destino turístico da Indonésia.

A Indonésia está localizada no designado “anel de fogo do Pacífico”, área de grande atividade sísmica, que regista anualmente cerca de 7.000 sismos, a maioria dos quais moderados.

LUSA