Um bombeiro observa um incêndio florestal na zona da Ribeira da Perna da Negra, na Serra de Monchique, no distrito de Faro, 4 de agosto de 2018. Estão envolvidos no combate ao incêndio mais de 735 bombeiros, 196 meios terrestres, e 9 meios aéreos. FILIPE FARINHA/LUSA

A página da Protecção Civil indicava esta sexta-feira, às 8h30, que estavam 1.371 operacionais no terreno, ajudados por 442 meios terrestres dois meios aéreos, um helicóptero e um avião.

Pode ler-se ainda no site que a legenda apresentada ‘em resolução’ significa que é um “incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido”.

Na conferência de imprensa de balanço, feita ontem à noite, refira-se, a segunda comandante operacional nacional da Protecção Civil, Patrícia Gaspar, referia que o incêndio estava “globalmente estabilizado”.

Segundo os dados mais recentes disponibilizados pelo Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais (EFFIS), este incêndio já era considerado o maior este ano em Portugal, tendo destruído à sua passagem cerca de 27 mil hectares.

As chamas que deflagraram na localidade de Perna Negra já provocaram 39 feridos, um deles em estado grave, obrigaram a evacuar diversos aglomerados populacionais e uma unidade hoteleira.

O incêndio começou na passada sexta-feira, dia 3, à tarde, em Monchique, no distrito de Faro, e chegou aos concelhos vizinhos de Silves, de Portimão no mesmo distrito, bem como a Odemira.

[Notícia atualizada às 08h45]