Inicio Tags Eficiência

Tag: eficiência

Mercadona: Novo Modelo de Loja Eficiente contribui para otimizar o ato de compra dos clientes

Para impulsionar a estratégia apresentada e implementada em 2017 de fazer todo o investimento necessário para transformar a empresa, a companhia levou a cabo diferentes ações ao longo do ano. Na inovação em lojas destaca-se a implementação do Novo Modelo de Loja Eficiente – que contribui para otimizar o ato de compra dos clientes – em 157 supermercados e o esforço realizado para serem mais lojistas e especialistas através do Projeto Frescos Global – introdução de melhorias nas secções de frescos -, já implementado em quase 200 lojas.

Paralelamente, em 2017, a Mercadona continuou a promover o seu modelo de Gama Eficaz para ser cada vez mais Totaler, construída com “O Chefe” e para “O Chefe”. Para isso, e graças ao trabalho realizado nos seus 16 Centros de Coinovação (um deles em Matosinhos, Portugal, para o desenvolvimento e adaptação da gama de produtos ao “Chefe” português) bem como aos esforços dos interfornecedores e fornecedores especialistas, continuou a adaptar a gama através da inovação e da melhoria constante, o que lhe permitiu introduzir mais de 300 novos produtos e melhorias nas suas prateleiras.

O presidente da Mercadona, Juan Roig, afirmou que 2017 foi um ponto de viragem para todos aqueles que formam a Mercadona. “Estamos a trabalhar a longo prazo e comprometidos com a consolidação de um projeto de transformação disruptiva no qual o esforço das pessoas é central. Alcançar isso requer convicção e o grande mérito está no esforço das 84.000 pessoas da Mercadona e dos fornecedores especialistas para garantir todos os dias a satisfação do “Chefe”, nossos clientes. Eles são a razão destes excelentes resultados”.

 

Internacionalização
O projeto da Mercadona em Portugal continuou a avançar e tem sido outro dos notáveis capítulos de investimentos. Além da abertura do Centro de Coinovação de Matosinhos, anunciou-se a construção do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim (Porto), que abrirá em conjunto com os quatro supermercados que a Mercadona planeia abrir no Grande Porto em 2019, alguns dos quais já começaram as suas obras.

No que diz respeito à criação de emprego, destaca-se o recrutamento de mais de 120 diretivos (quadros de direção média) e o início da seleção de equipas para as quatro primeiras lojas.

Outro dado relevante da empresa em Portugal foi a inauguração do Estádio Manuel Marques Gomes, em Canidelo, no município de Vila Nova de Gaia. Esta obra, incluída na política de responsabilidade social da empresa, resulta da colaboração da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, da Junta de Freguesia de Canidelo, do Sport Clube de Canidelo e da Mercadona.

Também é de destacar o aumento no volume de compras a fornecedores portugueses, que, em 2017, atingiu os 63 M€, mais 11 M€ do que no ano anterior.

Comprometidos com o investimento necessário para transformar a Mercadona
Para alcançar esta transformação estratégica de forma sustentável, a empresa, através dos seus recursos próprios, investiu 1.008 milhões de euros, 47% mais do que em 2016. Esse esforço de investimento permitiu abrir 29 novos supermercados, fazendo a cadeia crescer para um total de 1.627, e remodelar outros 126, todos com o Novo Modelo de Loja Eficiente.

Além disso, o investimento também se destinou a impulsionar todas as seções de frescos e à abertura de dois novos Centros de Coinovação, em Paterna (Valência) e na cidade portuguesa de Matosinhos (Porto). A tudo isto de juntam os projetos realizados para automatizar os Blocos Logísticos e eliminar esforços excessivos dos trabalhadores.

Em relação aos avanços na sua transformação digital, a Mercadona assinou um acordo de cinco anos com o líder do mercado em software de aplicações empresariais, SAP, com o objetivo disruptivo de transformar e melhorar os processos da empresa.

Nestes avanços tecnológicos também está o desenvolvimento do projeto Mercadona online, cuja fase de testes em alguns distritos da cidade de Valência está programada para o segundo semestre de 2018 e envolve tanto a construção de um novo website e uma aplicação móvel, como a de um armazém próprio (armazém-satélite) para a distribuição na cidade de Valência, com veículos específicos de três temperaturas especialmente pensados para a Mercadona. É um projeto para “experimentar e aprender”, e estamos convencidos do potencial que tem para satisfazer muito bem “O Chefe” online e o Capital (torná-lo rentável).

Um compromisso firme com o emprego estável e de qualidade: 5.000 novos postos de trabalho
Dentro do seu compromisso com o emprego estável e de qualidade, a Mercadona criou 5.000 novos empregos em 2017, o que implicou fechar o ano com um quadro de 84.000 pessoas (64% mulheres). Às novas incorporações, numa média de 15 por dia, foi garantido um emprego estável de qualidade e as mesmas condições de todas as outras pessoas que trabalham na Mercadona quanto às políticas de conciliação entre a vida pessoal e profissional, assim como as mesmas oportunidades de formação e promoção. Atualmente, 47% dos cargos diretivos são ocupados por mulheres.

Nesse sentido, o esforço que a empresa faz ano após ano em formação aumentou, em 2017, para os 65 milhões de euros e beneficiou 40.560 funcionários.

Partilhar o lucro: um modelo de Responsabilidade Social
A Mercadona reafirmou, uma vez mais, o seu princípio de que “o sucesso partilhado sabe melhor”. Do seu lucro total, 35% foi repartido pelos quadros, num total de 313 milhões de euros em prémios por objetivos; 25% dos lucros, 205 milhões, destinaram-se à sociedade na forma de impostos; 25%, mais de 202 milhões, foram reinvestidos na empresa enquanto recursos próprios, e os restantes 15% foram distribuídos entre os acionistas como dividendos.

Como resultado desse compromisso com o crescimento partilhado, a contribuição global da Mercadona para a criação de riqueza em Espanha representa 3% do emprego total do país, (545 mil empregos), 1,7% do PIB (19.500 milhões de euros).

Novo investimento recorde de mais de 1.500 milhões em 2018
Em 2018, a Mercadona voltará a fazer um investimento histórico de mais de 1.500 milhões de euros, visando a abertura de 27 supermercados, entre os quais se contam as futuras aberturas em Ceuta, Melilha e em La Palma, e a remodelação de mais de 200 lojas com o Novo Modelo de Loja Eficiente. Assim como continuar com a implementação do Projeto Frescos Global, que deverá ser implementado noutras 200 lojas durante este ano.

Paralelamente, a empresa continuará a construção dos blocos logísticos de Vitória (Álava) e de Abrera (Barcelona), o novo armazém online em Valência e o Centro de Processamento de Dados de Villadangos del Páramos (Leão), bem como o início de obras em o Bloco Logístico de Parc Sagunt, na cidade valenciana de Sagunto. A tudo isto se acrescenta o avanço do projeto Mercadona em Portugal, com a construção do Bloco Logístico da Póvoa de Varzim (Porto) e as obras dos quatro supermercados que abrirão no Grande Porto, em 2019, bem como o desenvolvimento do projeto de transformação digital com a SAP e o início do projeto online.

Este investimento sustentável será feito com os recursos próprios da empresa e é motivado pela decisão já tomada pelos acionistas no ano passado de basear as decisões da Mercadona a longo prazo, porque, segundo Juan Roig, “se se põe o foco no lucro a curto prazo é difícil tomar decisões e, agora, o nosso firme compromisso é investir para transformar a empresa.

De facto, está previsto e aprovado um investimento de mais de 8.500 milhões de euros entre 2018 e 2023, com recursos próprios. E para continuar a construir um modelo de empresa diferente e responsável socialmente, do qual as pessoas se sintam orgulhosas e queiram que exista.

Esse é o caminho pelo qual todos nós que formamos o Projeto Mercadona decidimos avançar, um caminho que, à luz dos resultados obtidos em 2017, está bem traçado”.

EMPRESAS