Quinta-feira, 29 Junho, 2017
Tags Post com a tag "Londres"

Tag: Londres

Autor de ataque em Londres disse querer matar todos os muçulmanos

Uma pessoa morreu e 8 ficaram feridas, ao início da madrugada desta segunda-feira, depois de um homem ao volante de uma carrinha ter atropelado um grupo de fiéis junto a uma mesquita em Finsbury Park, na zona norte da capital britânica.

A Scotland Yard já revelou que todas as vítimas são muçulmanas e que duas pessoas ficaram “gravemente feridas”.

O condutor, um homem de 48 anos, foi detido pela população que o entregou à polícia assim que as autoridades chegaram ao local.

De acordo com o jornal The Guardian, uma testemunha garantiu que, depois do atropelamento, o homem saiu da carrinha e gritou: “Quero matar todos os muçulmanos”. Depois os populares atiraram-no ao chão e detiveram-no.

Numa conferência de imprensa, o subcomandante da Scotland Yard, Neil Basu, revelou que o incidente está a ser tratado como um ataque terrorista.

Localizados todos os portugueses que viviam no prédio que se incendiou em Londres

Foram localizados todos os portugueses que viviam no prédio que esta madrugada se incendiou em Londres. Quatro famílias portuguesas viviam no edifício, mas havia uma que estava ainda por localizar. De acordo com a secretaria de Estado das Comunidades, são dois adultos e duas crianças que se encontram hospitalizados. A situação clínica está ainda em análise. As autoridades confirmaram que há vários mortos e pelo menos 50 feridos.

Londres: 6 vítimas mortais em incêndio em prédio residencial

A polícia de Londres confirmou que pelo menos seis pessoas morreram na sequência do incêndio de grandes dimensões que deflagrou numa torre residencial de 24 andares, na capital britânica, esta quarta-feira. As autoridades disseram, porém, que o número de mortos deverá aumentar. As causas do incêndio ainda são desconhecidas.

Enormes labaredas terão tomado conta do edifício, num combate que envolveu, pelo menos, 200 bombeiros apoiados por 40 veículos.

Testemunhas contam que algumas pessoas se atiraram das janelas e garantem que o alarme de incêndio não disparou, acrescentando que foram surpreendidas pelos gritos de socorro e alerta dos vizinhos, perdendo tudo o que tinham. Entre os relatos de desespero está o salvamento de um bebé, atirado do 10.º andar

A comissária dos Bombeiros de Londres, Dany Cotton, afirma que “os primeiros meios de socorro estavam no local em seis minutos”.

A Brigada de Bombeiros de Londres disse que o incêndio alastrou-se a todos os pisos do segundo ao último andar da Torre Grenfell, onde várias centenas de pessoas moravam no Lancaster West Estate, no oeste de Londres.

O incêndio de grandes dimensões deflagrou hoje à 01:15 (mesma hora em Lisboa) na torre Grenfell, de 27 andares, numa zona próxima de Notting Hill.

Enormes labaredas terão tomado conta do edifício e, segundo a agência, há muitas ambulâncias e carros de bombeiros, tendo sido formado um cordão policial a 150 metros do edifício, que ainda está envolto em fumo e onde são visíveis chamas nos andares cimeiros.

Engenheiros no local estiveram a avaliar a estabilidade do edifício e concluíram que a torre não corre o risco de colapsar.

Homem detido em Londres

A detenção foi feita às 08:05 locais (mesma hora em Lisboa) durante uma operação policial que incluiu buscas a várias casas daquela zona, a mesma onde residiam pelo menos dois dos três autores do ataque.

Na segunda-feira à noite, a polícia anunciou a libertação, sem acusação, de dez pessoas que tinham sido detidas após os ataques. Outras duas pessoas tinham anteriormente sido detidas e libertadas.

A polícia já confirmou a identidade dos três autores do ataque, abatidos pela polícia no local: Khuram Butt, 27 anos, e Rachid Radouane, 30, residentes em Barking, e Youssef Zaghba, 22, do qual foi apenas dito que residia no leste de Londres.

Os três foram abatidos pela polícia oito minutos depois de lançarem o ataque, durante o qual atropelaram transeuntes na London Bridge e esfaquearam várias outras pessoas em Borough Market.

Os ataques fizeram sete vítimas mortais e 48 feridos, 18 dos quais estão em estado crítico.

“Não apoio as suas ações nem apoio as crenças que o levaram a cometer essa atrocidade” diz mulher do autor do atentado de Londres

Num depoimento divulgado pela polícia de Londres, a mulher de Khalid Masood expressou ainda as suas condolências às famílias das vítimas que morreram e desejou rápidas melhoras aos feridos.

“Gostaria de pedir privacidade para a minha família, especialmente as crianças, nesta altura difícil”, acrescentou.

A mãe do autor do atentado também já tinha vindo a público manifestar a sua tristeza e dizer-se surpreendida pelas ações do filho.

“Não apoio as suas ações nem apoio as crenças que o levaram a cometer essa atrocidade”, afirmou, num comunicado divulgado pelos média britânicos.

A polícia acredita que Masood, que teria passado vários anos na Arábia Saudita, agiu sozinho no ataque da passada quarta-feira, mas está atentar determinar se outras pessoas o ajudaram ou influenciaram de alguma forma os seus atos.

Khalid Masood foi abatido pelas forças de segurança depois de ter atropelado dezenas de pessoas na Ponte de Westminster e de ter esfaqueado mortalmente um agente da polícia.

Na segunda-feira, a polícia britânica anunciou não ter encontrado ligações entre o autor do ataque e o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), que o reclamou como um dos seus “soldados”.

“Apesar de não ter encontrado nenhuma prova de uma associação com o EI ou a Al-Qaida, existe claramente um interesse na ‘jihad’”, declarou Neil Basu, comissário adjunto da Polícia Metropolitana de Londres

Na sequência da investigação das autoridades britânicas, 12 pessoas foram detidas.

Nove dos detidos foram entretanto libertados sem qualquer acusação, enquanto um homem de 58 anos permanece sob detenção e uma mulher de 32 anos foi libertada mediante pagamento de uma caução.

Desh reivindica ataque a Londres através do twitter

O anúncio foi feito pelo grupo terrorista numa publicação partilhada pelo jornalista da publicação alemã Bild, Björn Stritzel.

Recorde-se que o autor do ataque foi abatido depois de ter ferido mortalmente com uma faca um polícia à porta do Parlamento britânico, além de antes ter feito outras duas vítimas mortais e cerca de 40 feridos, ao atropelar pessoas indiscriminadamente na Ponte de Westminster.

imeira-ministra britânica, Theresa May, fez saber que a polícia já conhece a identidade do atacante e que em breve será revelada. Trata-se de um cidadão britânico, já referenciado por ligações terroristas.

Refira-se ainda que do raide policial que teve lugar também esta manhã resultaram oito detidos.

Ver imagem no Twitter

 

Londres: várias detenções após raide numa casa em Birmingham

Uma testemunha garantiu ao Metro UK que o suspeito do ataque de Westminster vivia naquele apartamento.

No âmbito desta investigação terão sido detidas sete pessoas.

“Levámos a cabo buscas em seis moradas e fizemos sete detenções”, disse o chefe da unidade antiterrorista da polícia de Londres, Mark Rowley, aos jornalistas, em frente à sede da Scotland Yard, revendo em baixa o número de vítimas mortais no atentado de quatro para três.

Sete pessoas continuam hospitalizadas em estado crítico, indicou ainda.

A operação policial, que ainda estará em curso, incluiu além de Londres e Birmingham outras zonas no país não especificadas.

Mark Rowley indicou ainda que, até ao momento, não foram detetadas evidências que apontem para “novas ameaças terroristas”.

O ataque teve lugar quando um homem ao volante de uma viatura atropelou vários transeuntes na ponte de Westminster e apunhalou depois um polícia.

O atacante foi abatido pelas forças de segurança.

Segundo o mais recente balanço oficial, cinco pessoas morreram e 40 outras ficaram feridas na sequência do ataque junto ao parlamento britânico, quando um homem ao volante de uma viatura atropelou vários transeuntes na ponte de Westminster e apunhalou depois um polícia.

As vítimas mortais são três civis, um polícia e o atacante, que foi abatido pelas forças de segurança, indicou na noite de quarta-feira o chefe da unidade antiterrorista da polícia de Londres, Mark Rowley.

Londres: cidade em alerta após ataque

Um agressor foi baleado fora do parlamento britânico pela polícia.

De seguida ouviu-se um tiroteio, pelo menos doze feridos na ponte Westminster.

Londres: cidade em alerta após ataque

Um agressor foi baleado fora do parlamento britânico pela polícia.

Segue-se  um tiroteio e um fotógrafo da Reuters vê pelo menos uma dúzia de feridos na ponte Westminster.

A cidade de Londres está neste momento sem saber o que esperar.

Freakloset desfila com a Sibling na London Fashion Week

Freakloset é a marca de calçado 100% portuguesa que reinventa os modelos mais clássicos e intemporais, personalizando-os com cores vibrantes e novos materiais. Acaba de dar mais um passo no caminho de mostrar o calçado português lá fora.

A Sibling escolheu a Freakloset para calçar todos os modelos femininos e masculinos no seu desfile de apresentação da coleção outono/inverno 2017, que teve lugar no passado dia 8 de janeiro, na London Fashion Week, um dos maiores eventos de moda mundiais. Pode ver algumas fotografias do desfile na galeria de imagens acima.

Esta parceria acontece apenas seis meses após o lançamento da Freakloset em Portugal, e vai permitir a entrada da marca no mercado do Reino Unido, bem como a sua expansão para outros mercados prioritários.

Social Media

2,315FãsGosto
102SeguidoresSeguir