Inicio Tags Oceano Atlântico

Tag: Oceano Atlântico

Açores: Tempestade tropical Ophelia subiu à categoria de furacão

Segundo um comunicado na página do Facebook da delegação regional dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), às 21:00 locais de quarta-feira (mais uma em Lisboa), o ciclone tropical Ophelia tinha subido de categoria, “sendo agora classificado como furacão de categoria 1”.

Àquela hora, o centro do furacão Ophelia localizava-se a 1.220 quilómetros a sudoeste dos Açores, tendo-se verificado “um aumento da intensidade do vento nas últimas horas”, com vento médio estimado de 120 quilómetros/hora e rajadas da ordem dos 150 quilómetros/hora.

De acordo com o IPMA, o ciclone tropical (designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões de categorias 1 a 5), está a deslocar-se para este a seis quilómetros/hora, “podendo ainda intensificar-se um pouco mais nas próximas horas”.

Prevê-se que a partir de hoje se desloque para nordeste e que às 18:00 “se encontre a aproximadamente 1.100 quilómetros a sudoeste do arquipélago”.

“Para sábado, pela avaliação dos resultados dos diferentes modelos meteorológicos, não se prevê que as ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) sofram influência deste ciclone tropical”, adianta.

Já para o grupo central (Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira), “existe uma baixa probabilidade, entre 5 e 10%, de as ilhas sofrerem influência deste ciclone”, situação diferente para o grupo oriental, onde a probabilidade de o ciclone influenciar o estado do tempo a partir de sábado em São Miguel varia entre 20 a 30% e em Santa Maria varia de 40 a 50%.

Ophelia converte-se no décimo furacão desta temporada no Atlântico.

A tempestade tropical Ophelia transformou-se hoje no décimo furacão da atual temporada no Atlântico, após os ventos atingirem um máximo sustentável de 120 quilómetros por hora, informou o Centro Nacional de Furacões (HNC) dos Estados Unidos.

O furacão de categoria 1 está a mover-se a uma velocidade de seis quilómetros por hora e de acordo com a trajetória prevista deverá cruzar os arquipélagos dos Açores e da Madeira, para depois seguir em direção ao Reino Unido.

No mais recente boletim, emitido às 22:00 (hora de Lisboa), o HNC, com sede em Miami, prevê que na segunda-feira o fenómeno meteorológico atinja a Irlanda, mas já transformado em tempestade tropical.

Desta forma, a costa da Galiza não será afetada pela tempestade, ao contrário do que prognosticavam os anteriores boletins.

Os ventos mais fortes do furacão Ophelia, que podem intensificar-se nos próximos dias, estendem-se até 35 quilómetros do seu centro, indicou o HNC.

A passagem desta inicial tempestade tropical ao grau de furacão implica um registo histórico que não se repete há mais de um século, ao tornar-se no furacão número dez nesta ativa temporada de furacões.

A atual temporada de furacões regista dez fenómenos, cinco de categoria máxima na escala Saffir-Simpson (3, 4 e 5), o número mais elevado desde 2005, com a formação do Harvey, Maria, Irma, Lee e José.

Cerca de 350 pessoas morreram de forma direta ou indireta devido a estes fenómenos meteorológicos, que assolaram a região do Caribe, Estados Unidos e diversos países da América Central.

Três furacões progridem em simultâneo no Oceano Atlântico

Às 22:00 de ontem (hora em Lisboa), o Centro norte-americano de Furacões (NHC, na sigla em Inglês) indicou que os ventos do José atingem os 120 quilómetros horários (categoria 1 de uma escala de 5) e que progride a 26 quilómetros por hora na direção oeste-noroeste. Esta direção deve ser mantida durante as próximas 48 horas.

O NHC espera que o furacão José, que está “a ganhar força rapidamente”, aproxime-se da categoria 3, correspondente à de “furacão importante”, com ventos entre 178 e 208 quilómetros por hora.

O José encontra-se a cerca de 1.700 quilómetros do arquipélago das Pequenas Antilhas, mas ainda não foi emitido qualquer alerta.

Do outro lado do Golfo do México, 300 quilómetros a nordeste da cidade mexicana de Veracruz, está o furacão Katia, com ventos de 120 quilómetros horários, que devem aumentar nas próximas 48 horas.

Este furacão está a deslocar-se lentamente, a seis quilómetros por hora, para o sudeste, e a sua trajetória deve manter-se nas próximas horas.

Segundo o NHC, o governo do México decretou uma “vigilância furacão” para uma parte do litoral no Estado de Veracruz, entre Tuxpan e Laguna Verde. Esta medida significa que os ventos do furacão devem chegar à zona em questão em 48 horas.

EUA criam primeira área marinha protegida no Atlântico

Segundo a Casa Branca, trata-se de um ecossistema com “características geológicas únicas”, que é berço de raras espécies em perigo de extinção, que foi objeto de exploração e descobertas científicas desde a década de 1970.

A nova área protegida vai chamar-se “Monumento Nacional dos Canhões do Nordeste e dos Montes Submarinos”, já que debaixo das suas águas esconde três canhões mais profundos do que o do Colorado e quatro montanhas.

Estes oferecem habitat a diferentes tipos de tartarugas marinhas, assim como baleias, cachalotes, além de corais únicos no mundo, peixes e moluscos.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai falar sobre a nova área protegida durante a terceira edição da conferência “Nosso Oceano”, cuja criação foi impulsionada pelo próprio.

A conferência realiza-se em Washington hoje e na sexta-feira com objetivo de transformar a proteção do ambiente marinho numa prioridade a nível global.

Segundo a Casa Branca, durante a iniciativa deste ano, aproximadamente 20 países vão anunciar a criação de 40 áreas marinhas protegidas que juntas somam 1.191.395 quilómetros quadrados.

Em agosto, os Estados Unidos já criaram, em águas territoriais do Havai, a maior área marinha protegida do mundo, batizada de “Monumento Nacional Papahanaumokuakea, com cerca de 1,5 milhões de quilómetros quadrados.

Nunca se protegeu tantos quilómetros de extensão marinha no mundo como em 2016.

Obama fez das alterações climáticas, e em particular do seu impacto nos oceanos, uma das prioridades do seu segundo mandato na Casa Branca.

Social Media

0FãsGosto
113SeguidoresSeguir

EMPRESAS

Tecnologia