Inicio Tags Ordenados

Tag: Ordenados

Terceiro dia de paralisação: Adesão à greve dos enfermeiros no turno da noite é de 87%

No que diz respeito a terça-feira, segundo dia de greve, José de Azevedo destacou que a adesão à paralisação foi de 87/88%.

Quanto à reunião de terça-feira entre o Sindicato de Enfermeiros Portugueses (SEP) e o ministro da Saúde, que terminou sem conclusões, tendo ficado marcada uma nova ronda de negociações para quinta-feira, o sindicalista reafirmou que são “manobras de diversão”.

“Tal como já havia dito na terça-feira, esta reunião ajuda as pessoas a perceber que se trata apenas de manobras de diversão”, disse.

A reunião aconteceu no segundo dia de fortes protestos a acompanharem por todo o país a greve, que decorrerá até sexta-feira, contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de atualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira.

A greve, marcada pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo SE, começou às 00:00 de segunda-feira e decorre até às 24:00 de sexta-feira.

A Secretaria de Estado do Emprego considerou irregular a marcação da greve, alegando que o pré-aviso não cumpriu os dez dias úteis que determina a lei.

O primeiro dia de greve, que teve uma adesão de 85%, ficou marcado por várias manifestações de enfermeiros frente a alguns dos principais hospitais portugueses, nomeadamente no Porto, Coimbra e Lisboa.

Empresas portuguesas não são para jovens

Jovens encontram inúmeras dificuldades no Mercado de Trabalho

A vida dos jovens portugueses no mercado laboral está cada vez mais difícil. O programa de resgate obrigou a reformas estruturais e os efeitos na estabilidade profissional são cada vez mais claros, com os mais novos a serem os ‘alvos’ principais da menor aposta nos contratos sem termo.

Segundo os números do INE, a realidade é mais preocupante hoje em dia do que há quatro anos. No início de 2011, cerca de 42% dos funcionários com menos de 24 anos estavam integrados nos quadros das empresas, um número que caiu para apenas 30% no final do terceiro trimestre deste ano.

Olhando mais para trás, a queda torna-se particularmente grave: em 1998, a percentagem de jovens com contratos sem termo chegava aos 66% dos funcionários por conta de outrem. O impacto das alterações no mercado laboral atingiu os mais novos de forma menos proporcional do que os mais velhos, uma tendência que se torna clara ao olhar para os números globais.

Nos trabalhadores entre os 25 e os 34 anos, a percentagem de presenças no quadro das empresas está nos 66%, apenas menos 3% do que em 2011. Para os funcionários com mais de 45 anos a diferença foi de um ponto percentual e entre os 35 e os 44 anos, não houve qualquer alteração.

Se a precariedade aumentou, nos salários o panorama é muito semelhante desde há quatro anos. A quantidade de jovens a ganhar menos de 900 euros continua perto dos 80% e para quem perde o trabalho, o destino continua a ser o desemprego de longa duração ou um contrato com salário mais baixo.

Social Media

0FãsGosto
111SeguidoresSeguir

EMPRESAS

Tecnologia