Inicio Tags Porto

Tag: Porto

Hotel dos Aliados quer ser reconhecido como estabelecimento histórico

proposta consta da ordem de trabalhos da próxima reunião da Câmara, a que a Lusa teve hoje acesso, e em causa está dar ao Hotel dos Aliados, edifício onde foram gravadas cenas do filme “A Costureirinha da Sé”, de Manuel de Guimarães, o estatuto de estabelecimento de interesse histórico e cultural ou social local.

O executivo liderado por Rui Moreira quer abrir um prazo de 20 dias de consulta pública, com início no dia 25 e término a 23 de outubro, conforme se lê na proposta, que é assinada pelo vereador da Economia, Turismo e Comércio, Ricardo Valente.

Além da consulta pública, este dossier vai ser avaliado pela União de Freguesias do Centro Histórico, onde se localiza o equipamento.

Sobre o Hotel dos Aliados, os anexos à proposta relatam que este estabelecimento turístico foi inaugurado em 1932, que a propriedade do equipamento passou por várias mãos e que desde 1998 o espaço tem a marca registada “Aliados”, o que significa que “caso encerre não é possível na cidade do Porto um outro hotel” ter esta designação.

O edifício é da autoria do arquiteto italiano Michaelangelo Soá, de 1919, integrando os primeiros projetos de remodelação da Nova Avenida das Nações Aliadas, atualmente designada avenida dos Aliados, que começou a ser aberta em 1916.

O espaço foi restaurado em 2012 por imposição da nova legislação, tendo a classificação sido ajustada para hotel de três estrelas.

A ficha de caracterização frisa que o projeto de recuperação, do arquiteto Jorge Gonçalves, mantém as bases da tipologia original, desde os quartos, à organização das escadas, caixilharias, fachadas e coberturas, somando-se a manutenção e integração de mobiliário original.

LUSA

Federação Académica: quartos a 300 euros são “incomportáveis”

Estamos a falar de preços na cidade do Porto que rondam os 250 a 300 euros por mês, portanto é metade do salário mínimo nacional e são valores absolutamente incomportáveis para a típica família portuguesa”, observou o presidente da FAP, João Pedro Videira, lamentando que a “maior fatia do orçamento” dum estudante universitário no Porto seja gasto no alojamento

O custo total mensal de um universitário no Porto, explicou, ronda entre os 700 e os 900 euros mensais, atendendo a todos os gastos para a frequência do ensino superior, designadamente propinas, alojamento, alimentação, material escolar e livros.

O presidente da FAP avisou ainda que o Estado continua sem dar uma resposta e os estudantes estão a chegar a uma “situação limite”.

“O Estado, como a própria autarquia neste momento também, tem de começar a dar alguma resposta sobre esta matéria, porque estamos a achegar a uma situação limite, aliás já chegámos a uma situação limite em que se verificam cada vez mais estes valores”.

Muitas vezes os valores das rendas nem sequer têm um contrato de arrendamento e muitas vezes sem despesas incluídas, acrescenta, falando em cerca de “50 euros” a mais para despesas mensais.

“Hoje em dia frequentar o ensino superior no Porto, para quem é estudante deslocado, pode rondar entre os 700 euros e os 900 euros, a mil euros por mês, dependendo do nível de vida”, conclui.

Segundo o presidente da FAP, a realidade na Universidade do Porto é que existem 23 mil estudantes deslocados.

“Temos 1.300 camas de oferta pública no total, mas desse total 100 camas estão inoperacionais e o resto do mercado tem de ser em privados”, com valores “exorbitantes e incomportáveis” para a maioria das famílias portuguesas.

LUSA

Feira do Livro do Porto homenageia José Mário Branco

feira, que vai também assinalar os 50 anos do Maio de 68, em particular com a presença de um dos rostos daquele momento histórico, Daniel Cohn-Bendit, abre-se ao público hoje às 12:00 e, horas mais tarde, vai receber a visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

No sábado, às 18:00, dá-se o primeiro debate, sob o tema “No princípio era a canção”, em que Anabela Mota Ribeiro vai conversar com o músico, compositor e produtor portuense José Mário Branco, que vai passar a ter uma tília de homenagem no Palácio de Cristal, à semelhança de Agustina Bessa-Luís, Vasco Graça Moura, Mário Cláudio e Sophia de Mello Breyner.

Até dia 23, passam pelo auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett Mia Couto, Afonso Cruz, Cohn-Bendit, Filipa Martins, João Pinto Coelho, Kalaf Epalanga, Telma Tvon, Leila Slimani, José Riço Direitinho, Valério Romão, Mário de Carvalho e Ana Margarida de Carvalho.

Um dos destaques da edição deste ano, para além de Cohn-Bendit, que vai falar sobre “as revoluções imprescindíveis” com o historiador Rui Tavares, é a presença da escritora Leila Slimani, vencedora do prémio Goncourt em 2016 com “Canção Doce”, editado em Portugal pela Alfaguara.

Como escreve o programador José Eduardo Agualusa no caderno da feira do livro deste ano, “Canção Doce” “poderia ser o tema genérico da presente edição da Feira do Livro do Porto, durante a qual [serão debatidas] as ligações entre a literatura e a música”.

Nas sessões de ‘spoken-word’ vão participar nomes como Capicua, André Tentúgal, Nuno Artur Silva, Selma Uamusse e Miguel Januário, entre muitos outros.

A Galeria Municipal vai receber uma exposição com curadoria de Paulo Vinhas sobre “Cinco décadas de inquietação musical no Porto”, enquanto o mezzanine da mesma galeria vai acolher “Porto sentido de fora: Livros e guias de viagem de Portugal entre a monarquia constitucional e o Estado Novo (1820-1974)”, e o ‘foyer’ do auditório vai contar com uma exposição de cartazes do Maio de 68.

No âmbito do “curso breve de literatura”, como lhe chamou a também programadora Anabela Mota Ribeiro, António Mega Ferreira vai falar sobre Dante, Perfecto Cuadrado sobre Cervantes, Pedro Eiras sobre Pessoa, Ana Paula Coutinho vai abordar Flaubert, enquanto Ana Margarida de Carvalho vai refletir sobre os escritores russos e Luísa Costa Gomes sobre Shakespeare.

Nesta edição, a Feira do Livro do Porto mantém a mesma dimensão e tipologia de oferta do ano anterior, com 134 participantes, distribuídos por 130 ‘stands’.

“Cremos ser esta a dimensão correta para este espaço, aumentá-la poderia desvirtuar a relação dos visitantes com o parque e a paisagem, que pretendemos que seja um elemento diferenciador na experiência de visita a este projeto de cidade”, afirmou o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, no final de agosto.

De acordo com o autarca, o “orçamento total é de 200 mil euros, idêntico à [ao da] edição anterior, que se divide de forma paritária entre as despesas de logística e de programação”.

“Quanto aos 100 mil euros de logística, eles são integralmente cobertos pelos alugueres que iremos cobrar”, acrescentou.

LUSA

 

Fim de semana à porta: O que fazer no Porto e em Lisboa?

Depois de um fim de semana abrasador, os próximos dias não serão de ‘esturricar’. Há, portanto, ainda menos razões de queixa para ficar em casa.

Como já é habitual, o Notícias ao Minuto escolheu alguns eventos para gostos bem diferentes. Há música e exposições, há feiras e filmes e muito mais para aproveitar (e muitos ao ar livre).

Antes de vermos com mais pormenor o que podemos esperar na Grande Lisboa e no Grande Porto, aproveitamos para destacar que o Dino Parque da Lourinhã mudou-se de ‘malas e bagagens’ até dia 15 de agosto para o Arena Shopping, em Torres Vedras, onde há uma agenda recheada.

É chegada a hora de ver o que nos reservam estes dias 10, 11 e 12 de agosto.

Grande Porto

Laúndos em Movimento

Esta sexta-feira, sábado e domingo há Laúndos em Movimento na Póvoa do Varzim. O cartaz é variado, com atividades várias e espectáculos de stand-up comedy. Mas o destaque irá para ‘a mais louca corrida do país’, com carros artesanais a ocupar as ruas.

Verão na Casa da Música

A Casa da Música, espaço privilegiado não apenas na Invicta mas em todo o país, também não esquece o verão. Até 11 de setembro há um programa variado que incluiu algumas oportunidades que não são de desaproveitar. 

Dominguinhos no MAR Shopping

O MAR Shopping continua a dar-nos domingos para toda a família, a pensar nos mais pequenos. Os Dominguinhos continuam a ‘todo o gás’. Este domingo, 12 de agosto, pelas 11h da manhã, há Atelier de Artes Plásticas – Mensagem numa Garrafa. É gratuito mas é necessária a inscrição.

Portobello… Porto Belo

Todos os sábados,o histórico e mundialmente conhecido mercado londrino de Portobello tem uma versão a pensar no ‘relax’ na Invicta. Eis o Porto Bello, que conta com bancas variadas. As compras terão de ser pagas com o esforço da carteira, o passeio nem por isso.

Onde Praça Carlos Alberto
Quando Todos os sábados, entre as 10h e as 19h

School Affairs na Fnac de Santa Catarina

A Fnac de Santa Catarina, bem localizada no centro da Invicta, recebe por estes dias o projeto School Affairs, de João Henriques, vencedor do prémio Novo Talento Fnac, em 2015.  A exposição está patente até dia 20 de setembro.

Bom fim de semana e boas ofertas culturais!

Grande Lisboa

Somersby Out Jazz continua

Já foi novidade mas, a cada ano que passa, é cada vez mais tradição. E uma que vale muito bem a pena manter. O Out Jazz junta música ao vivo em fins de tarde nos espaços verdes mais nobres de Lisboa. No mês de julho foi no Parque Eduardo VII que se fez a festa. Em agosto é o Jardim da Estrela que está a ser palco dos concertos do Somersby Out Jazz.

Quando e Onde Domingo, 12 de agosto, a partir das 17h – Jardim da Estrela
Quem Zeñel | Helder Russo

Inimigo Público no Passevite

Os trabalhos de ilustração originais de Nuno Saraiva para o Inimigo Público estão agora em exposição no Passevite, em Lisboa. Podem ser vistos de terça-feira a sábado, das 15h às 21h. A exposição é gratuita (excepto se quiser comprar um dos 15 trabalhos que estão à venda).

Conversas da Rua na Amadora

A 4.ª edição do projeto Conversas na Rua já chegou à cidade da Amadora. Até 20 de agosto, seis artistas portugueses vão criar propostas visuais para diferentes locais da cidade.

Roy Liechtenstein no Colombo

Uma exposição com 41 obras do pintor norte-americano Roy Lichtenstein, desde pop art, paisagens e cartazes, está a dar cor e vida ao Centro Comercial Colombo.  Uma oportunidade tão simples quanto imperdível, para ver até dia 23 de setembro.

Rafael Toral revisita Wave Field

O Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado recebe esta sexta-feira, pelas 19h30, um espectáculo de Rafael Toral. O concerto vai decorrer no Jardim das Esculturas e é de entrada livre, numa iniciativa que promete dar música por agosto fora ao Museu do Chiado, todas as sextas-feiras.

Odeon Hotel na Fnac Chiado

Odeon Hotel é um projeto de fotografia de Daniel Costa Neves que está em exposição na Fnac do Chiado, no coração da capital. Trata-se de um trabalho artístico para conhecer até 2 de setembro. Clique aqui para conhecer melhor este projeto.

 

Gaivotas são um problema de saúde pública

© sol sapo

As “aves não são infelizes”, nem precisam que “se dê de comer à mão”, considerou Henrique Barros, presidente do ISUP, defendendo a necessidade de uma maior prevenção junto à população para que coloque o lixo urbano nos locais convenientes.

“Se as pessoas tivessem cuidado de colocar o lixo nos sítios em que deve ser colocado, e depois os municípios tivessem o cuidado de o recolher convenientemente, e se as pessoas não promovessem a alimentação à mão às gaivotas,” era uma forma de controlar o fenómeno, acredita aquele investigador na área da sáude pública.

O fenómeno da quantidade das gaivotas não é caso para alarmismos, mas a prevenção deve ser constante, reitera Henrique Barros.

“Não vale a pena fazer alarmismo, isto não é como o caso dos morcegos para aquela doenças infecciosas graves de África ou não é como a raiva. Não estamos a falar de coisas destas, mas é possível que havendo um grande desequilíbrio ecológico se criem condições para algumas dessas espécies [como as gaivotas] possam transformar-se em portadores de agentes infecciosos”, observou, recordando ainda a discussão em torno da “gripe das aves”.

“O que nós sabemos hoje em dia, isso é muito claro, é que quando mexemos nos equilíbrios ecológicos criamos problemas” e ao fazer essa mudança “criam-se condições para que possa ser introduzido ou que circule um agente que nós não estávamos à espera”, explica Henrique Barros, observando que as gaivotas deveriam andar a comer peixe no mar, mas não no lixo das cidades.

Um estudo científico revelou que as gaivotas que habitam no Porto tanto se alimentam de queques e carne na Baixa da cidade, como comem peixe ao longo do rio Douro até Pinhão (Vila Real) e vão à lota de Matosinhos.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Estudos das Aves (SPEA), o aumento de ataques de gaivotas no Porto pode explicar-se com o crescente número de restaurantes perto do rio Douro, uma consequência da elevada procura turística naquela área.

LUSA

LeasePlan Portugal entrega mais de 250 veículos “verdes” ao Município do Porto e a empresas municipais do concelho

Fleet Magazine

Na última semana, a LeasePlan deu formação a cerca de 500 colaboradores municipais sobre a melhor condução de veículos elétricos. Numa altura em que o Município do Porto está a finalizar a instalação da infraestrutura de carregamentos para os veículos elétricos em vários locais da cidade, este é o passo que faltava para a cidade abraçar em definitivo a passagem para uma frota “mais amiga do ambiente”. O Município do Porto foi o primeiro município a alterar a sua frota para elétricos e híbridos e, apenas nos segmentos onde ainda não existe uma alternativa “verde”, mantiveram veículos a combustão (chassis cabine, pick ups e furgões de grandes dimensões).

“Os municípios têm condições para liderar a transição para uma mobilidade futura mais sustentável e prova disso mesmo é a transição ocorrida no Município do Porto de veículos de combustão para uma frota elétrica e híbrida”, afirma António Oliveira Martins, diretor-geral da LeasePlan. “Como parceiro estratégico fundamental na mudança do paradigma da mobilidade, a LeasePlan dá assim mais um passo rumo a um futuro de veículos mais sustentáveis. O panorama da mobilidade está em processo de disrupção e por essa razão é necessário um esforço conjunto cada vez maior por parte de todos os operadores”, conclui.

“O Município do Porto quer liderar pelo exemplo e a descarbonização da sua frota automóvel constituiu um enorme desafio dada a dimensão e complexidade. Estamos conscientes que este passo representa um enorme contributo para a redução da pegada carbónica do Município, com uma redução substancial do consumo de combustíveis fósseis.” afirma Filipe Araújo, Vice-Presidente da Câmara Municipal do Porto e Vereador com o Pelouro da Inovação e Ambiente. “Este projeto faz parte de uma estratégia que pretende colocar a sustentabilidade como pilar transversal do desenvolvimento do Porto.”

Sobre a LeasePlan Portugal:

A LeasePlan é líder nacional no mercado do Car-as-a-Service e a sustentabilidade faz parte da sua estratégia. A LeasePlan tem como objetivo atingir zero emissões na sua frota total em 2030. Os principais elementos da estratégia incluem a sensibilização dos clientes sobre what’s next em veículos de baixas emissões; facilitando a adoção de veículos de baixas emissões com propostas atrativas para os clientes desenvolvidas pelo LeasePlan Electric Vehicle Experience Center; e a transição da própria frota de colaboradores da LeasePlan para uma frota de veículos elétricos até 2021. A LeasePlan é também membro fundador da EV100, uma nova iniciativa de negócio global projetada para acelerar a aceitação de veículos elétricos e as suas infraestruturas, lançada pelo The Climate Group no âmbito da Assembleia Geral da ONU em setembro.

Mudar Infarmed para o Porto “trará maior produtividade e eficiência”

© Global Imagens

De acordo com o relatório do grupo de trabalho criado pelo Ministério da Saúde para avaliar o impacto da mudança do Infarmed de Lisboa para o Porto, a que o Jornal de Notícias (JN) teve acesso, a deslocalização “trará maior produtividade e eficiência, nomeadamente com a construção de instalações mais adequadas do que as atuais, no Parque de Saúde, em Lisboa”.

“É um investimento de cerca de 17 milhões de euros, mas que, ao fim de 15 anos, poderá gerar uma poupança de 8,4 milhões”, é referido no documento, que já foi entregue ao Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

O grupo concluiu também, segundo o JN de hoje, que “não se verificam impedimentos absolutos para a deslocalização do Infarmed para o Porto”, mas alerta para a necessidade de se criar uma estratégia que proteja os recursos humanos por forma a garantir a continuidade da missão da agência do medicamento”.

Contudo, a recusa dos trabalhadores na deslocalização para o Porto é um dos principais constrangimentos para a mudança.

De acordo com um inquérito da comissão de trabalhadores do Infarmed, a que agência Lusa teve acesso, 99% dos trabalhadores discorda da deslocalização para o Porto. Apenas sete por cento estariam disponíveis para se mudar.

No documento a que o jornal teve acesso, o grupo admite que a recusa pode comprometer a missão, mas, com medidas de compensação, os riscos “são negligenciáveis”.

“Contemplar em legislação excecional compensações aos funcionários em deslocação ou alterar a natureza jurídica do Infarmed, de instituto público para entidade reguladora independente” são algumas das soluções apontadas.

No relatório é explicado que “caso os trabalhadores não adiram voluntariamente à transferência, poderá “verificar-se a situação típica de mobilidade geográfica/territorial a que se refere o artigo 24.º da lei número 25/2017″, ou seja, podem beneficiar de subsídio de fixação, de deslocamento e de residência, bem como de garantia de transferência escolar dos filhos e de preferência de colocação do cônjuge”.

No que diz respeito à natureza jurídica (passar o Infarmed a Entidade Reguladora Independente), o grupo sublinha que “com este estatuto, aos trabalhadores seria aplicado o regime de contrato individual de trabalho”.

Como tal, teria ao dispor “autonomia regulamentar própria para estabelecer o regime de carreiras e categorias, assim como as inerentes posições remuneratórias e ouras justificadas com compensações”, é indicado.

O grupo destaca contudo que qualquer uma das soluções terá de ser acompanhada, em paralelo, por um processo de formação de novos recursos humanos “como garante da continuidade do Infarmed”.

A deslocalização do Infarmed de Lisboa para o Porto foi anunciada em novembro do ano passado pelo ministro da Saúde, tendo sido recebida com surpresa e desagrado pelos trabalhadores do instituto.

O anúncio foi feito depois de se saber que a candidatura do Porto a receber a sede da Agência Europeia do Medicamento não tinha sido vencedora.

Em dezembro de 2017, o ministro da Saúde criou um grupo de trabalho para avaliar esta deslocalização.

LUSA

VII Congresso Científico ANL

Ostentando uma história de inovação científica, ensino médico, espírito de colaboração, abertura, liberdade e partilha de informação, o Porto é a opção adequada à realização do sétimo evento promovido pela Associação Nacional dos Laboratórios Clínicos (ANL). Cidade natal ou local de estudo de nomes como Ricardo Jorge, Júlio de Matos, Abel Salazar ou Óscar Moreno, figuras ímpares da medicina portuguesa, que são fonte permanente de inspiração e orgulho para todos os colegas que exercem a sua atividade profissional na área da saúde. Será neste ambiente de partilha do passado que iremos projetar o futuro na antiga, mui nobre, sempre leal e invicta cidade.

O programa científico apresenta as melhores sessões educacionais e tem como oradores prestigiados profissionais e professores da área da medicina laboratorial. Serão abordados em sessões plenárias temas atuais e relevantes relacionados com diversas áreas laboratoriais, quer no plano analítico, como tecnológico, sem esquecer a validação de resultados, a sua interpretação semiológica, o controlo e avaliação da qualidade.

A importância do complemento com a Clínica será uma preocupação constante; o foco no doente uma presença inquestionável. Ocorrerão cursos práticos de áreas específicas que proporcionarão oportunidades únicas de partilha de conhecimento em áreas laboratoriais particulares e em permanente evolução.

Como habitualmente a produção científica na área laboratorial efetuada ao nível dos laboratórios portugueses terá um destaque muito especial, com os prémios para as melhores apresentações em painel. Este ano pela primeira vez serão introduzidos no programa espaços dedicados a apresentações orais, possibilitando a divulgação de importantes trabalhos desenvolvidos por jovens profissionais e investigadores. Será também premiada a melhor e mais original.

Como vem sendo habitual e a par das sessões científicas decorrerá um importante programa paralelo de reflexão sobre a importância, o papel do laboratório na sociedade, o seu contributo para a sustentabilidade do sistema da saúde e as melhores práticas a diversos níveis: gestão, informatização, legislação, publicidade, proteção de dados, proteção do ambiente. Serão nossos convidados decisores políticos, líderes de opinião, diretores de relevantes Instituições da área da saúde, professores universitários de diversas áreas, todas elas com influência direta ou indireta no laboratório de análises clínicas.

Serão apresentados durante o Congresso os resultados preliminares dum inovador e inédito estudo sobre o custo das Análises Clínicas em diversos hospitais, centros hospitalares e unidades locais de saúde. Foi resultado dum esforço enorme e dum notável trabalho de equipa entre ACSS, ANL e a consultora Roland Berger.

Como sempre a ANL conta com a presença e colaboração inestimável dos fornecedores da área laboratorial. Concretamente estes importantíssimos parceiros, são atualmente pilares da formação contínua para além de garantia de evolução, inovação e incremento permanente da qualidade nas análises clínicas. O VII Congresso da ANL orgulha-se em ter uma das maiores áreas de exposição da indústria do diagnóstico in vitro, reunida em eventos similares em Portugal, nesta sua sétima edição. A ANL está muito grata a todos.

Estou muito ansioso por poder receber os colegas e amigos de todo o país na nossa reunião bienal. A ANL procede assim a um dos seus compromissos com os sócios e com a sociedade em geral, o de impulsionar os padrões de conhecimento e de intervenção responsável, na área das análises clínicas. Este tipo de congressos não são possíveis sem o esforço e o contributo de todos os colegas. Venham de laboratórios de patologia clínica ou de análises clínicas, de genética ou de anatomia patológica, públicos ou privados, de saúde pública ou de investigação.

A sua presença assegura oportunidades únicas de aprendizagem, de convívio, de interação científica e cultural, de celebração da inovação e de salutar discussão.

Se também podermos em conjunto ultrapassar barreiras, propor ruturas, abordar reformas, numa abordagem revolucionária e livre aos desafios complexos da saúde no plano assistencial, social, económico, ambiental e tecnológico, então a missão da Comissão Científica do VII Congresso ANL fica cumprida, com sucesso. Desta forma é fundamental a presença de todos os que abraçam diariamente a medicina laboratorial e as análises clínicas com reforçado amor e dedicação. Conto com todos, motivados e inspirados, no Porto a 25 e 26 de maio.

OPINIÃO DE CARLOS CARDOSO, Presidente do Conselho Científico da Associação Nacional de Laboratórios Clínicos

Três doentes com sarna internados no Hospital São João

escabiose, ou sarna, é uma das doenças parasitárias humanas mais frequentes e é contagiosa, tendo tratamento.

“Neste momento, não há razão para medidas adicionais, não sendo este tipo de situação motivo para encerramento de espaços ou unidades”, afirma o Hospital São João, numa nota enviada à agência Lusa.

Segundo o hospital, esta semana foram detetados num serviço médico três casos de escabiose em doentes internados. Verificou-se também a transmissão a alguns profissionais de saúde desse serviço, mas o hospital não especifica quantos profissionais.

“Imediatamente após o diagnóstico foram implementadas todas as medidas de controlo de infeção preconizadas e foi instituído tratamento adequado desses doentes”, refere o hospital.

A unidade hospitalar lembra que um doente pode transmitir a infeção antes mesmo de apresentar com sintomas, podendo por isso ocorrer transmissão a outros doentes ou profissionais durante a fase pré-diagnóstico.

“Foi ativado o protocolo institucional de atuação para estas situações incluindo as medidas de controlo de transmissão, o tratamento de todos os profissionais e dos doentes, bem como a procura ativa para deteção precoce de quaisquer novos casos”, adianta a nota.

A sarna humana ou escabiose é uma doença cutânea contagiosa, causada por um parasita. Entre os sintomas estão geralmente a comichão ou prurido, sobretudo durante a noite. Surgem também erupções cutâneas.

LUSA

Inovação, empreendedorismo e tecnologia no Porto

Segundo um comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso, na agenda estão conferências, encontros, reuniões de negócios, visitas a empresas da região, atividades de rua, partilha e desenvolvimento de conhecimento.

Nas duas edições anteriores da Semana Start & Scale foram promovidas 36 atividades, envolvendo mais de 3.500 pessoas.

A semana arranca com a maratona digital Hack For Good 2018 (5 e 6 de maio), uma ação da Fundação Calouste Gulbenkian que desafia a sociedade a ser parte integrante de um movimento de desenvolvimento de soluções tecnológicas para benefício social.

EMPRESAS