FIFA: Adidas ameaça quebrar ligação ao organismo se não forem feitas reformas

Já outros gigantes, como a Coca-Cola ou a Visa, já vieram a público exigir a saída imediata de Joseph Blatter

1001

Desde há muito um dos principais parceiros da FIFA, a marca de artigos desportivos Adidas revelou que está na disposição de terminar a sua ligação ao organismo que superintende o futebol a nível mundial, caso a instituição não faça as necessárias reformas na sequência do escândalo de corrupção que a atingiu.

«Se a FIFA conseguir reformar-se e, na minha opinião, estão no bom caminho para o fazer, vamos continuar com a parceria. Se não o fizer, tenho de refletir e pensar em alternativas», admitiu, em declarações ao jornal Handelsblatt, o presidente da empresa multinacional, Herbert Hainer.

Refira-se, de resto, que, de entre os principais parceiros da FIFA, a Adidas, com mantém um contrato de patrocínio com a entidade até 2030, tem sido aquela que tem adoptado postura mais discreta face ao escândalo que continua a assolar o organismo, não manifestando, pelo menos até hoje, qualquer posição face ao problema.

Já outros gigantes, como a Coca-Cola ou a Visa, já vieram a público exigir a saída imediata de Joseph Blatter, o presidente demissionário da FIFA e personagem central no escândalo de corrupção.