Chave para a boa memória pode estar debaixo do seu nariz

Estudo sugere que o composto que dá a esta erva o seu cheiro distinto consegue aumentar um químico no cérebro responsável pela memória.

760

Investigadores da Northumbria University sugerem que cheirar alecrim pode melhorar a memória.
De acordo com este estudo, o químico 1,8-cineole, que dá o cheiro ao alecrim, é um químico chave para a memória e pode ser aumentado.
Os investigadores sugerem que cheirar alecrim aumenta a nossa capacidade de recordar eventos passados e de lembrar planos futuros.

O responsável de psicologia da Northumbria University e investigador principal neste estudo Dr. Mark Moss explica que este químico está também a ser estudados pelas ciências que se dedicam a investigar a doença de Alzheimer.

Como reporta o Daily Mail, para este estudo vários voluntários realizaram testes de memória enquanto estavam numa sala com cheiro de óleo de alecrim, outros numa sala com fragrância de lavanda e outros numa sala com ar limpo.

Os investigadores concluíram que o alecrim melhorou em cerca de 15% a memória de longo termo e a capacidade de fazer cálculos simples. Melhorou ainda a ‘memória prospetiva’ – usada para fazer planos.