Sinais de autismo que os pais devem ter em conta

O diagnóstico precoce é uma das formas mais eficazes de evitar os males maiores do autismo.

716

É entre os 12 e os 18 meses que podem surgir os primeiros sintomas de autismo, uma “perturbação específica do desenvolvimento social com marcada heterogeneidade de manifestação, variável de individuo para individuo e, podendo variar ao longo da vida, com a idade e a aquisição ou perda de competências”.

Segundo a informação publicada no site da APPDA-Lisboa, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo, atualmente, a “caracterização clínica” é feita com base em sintomas comportamentais em três domínios: “as perturbações da interação social recíproca, a restrição da comunicação verbal e não verbal e o reportório restrito de interesses e comportamentos”, lê-se no site da associação.

Mas na hora de detetar o autismo, cabe aos pais estarem atentos aos primeiros sinais. Ao Huffington Post, o médico Paul Wang diz que “os pais podem começar a notar diferenças quando seus filhos têm apenas seis meses”.

Os sinais de alerta mais comuns passam pela demora em aprender a falar ou por comportamentos sensoriais incomuns. Mas existem outros, diz a revista Exame, listando os sinais precoces de autismo que os pais devem ter em conta:

A ausência de fala e a falta de contato com os olhos, dificuldade em interagir e socializar, sensibilidade à luz e a alguns sons são alguns sinais a ter em conta, assim como os comportamentos repetitivos, como bater os braços ou abanar o tronco.