Vodafone Portugal perdeu 1,1% das receitas no terceiro trimestre

As receitas totais da Vodafone Portugal caíram 1,1% no terceiro trimestre fiscal terminado em dezembro, face a igual período do ano anterior, para 245,5 milhões de euros, anunciou hoje a operadora de telecomunicações.

634

Já as receitas de serviços avançaram 0,6%, no mesmo período, para 222,7 milhões de euros.

Em comunicado, a operadora liderada por Mário Vaz refere que a “Vodafone Portugal apresenta claros sinais de recuperação, com as receitas de serviço a entrarem em terreno positivo durante o terceiro trimestre” e que “excluindo o efeito das tarifas de terminação móvel”, estas aumentaram 2,3% em termos anuais.

“Este resultado foi impulsionado pelo forte e continuado crescimento nas receitas de serviço fixo”, que subiram 40,8%.

A operadora adianta que a “melhoria nas receitas do fixo resulta do forte crescimento na sua base de clientes”, de mais 32,3%, totalizando 473 mil, dos quais 416 mil são clientes de banda larga fixa.

Em termos de clientes de serviço móvel, no terceiro trimestre terminado em dezembro a operadora contabilizava 4,9 milhões, menos 5,7% que um ano antes. A operadora registou 52,8 mil adições líquidas no trimestre, uma quebra de 18,1%.

No final do terceiro trimestre, a Vodafone Portugal contava com 2,27 milhões de casas e empresas passadas com a rede de última geração.

No âmbito do projeto Spring, relativamente à quarta geração (4G), “a Vodafone atingiu uma cobertura de 94% da população portuguesa, aumentando a utilização de dados em 89,5%” em termos anuais e “fazendo crescer o número de clientes em 220%, chegando aos 662 mil”.