Heimtextil – Sucesso Vimaranense

Mais uma vez Guimarães e as suas empresas deram um sinal da sua vitalidade a nível internacional, na Heimtextil, a mais importante feira internacional de têxteis-lar para hotelaria, que decorrei em Frankfurt, Alemanha, de 12 a 15 de janeiro.

978
Ricardo Costa

Porquê este sinal positivo das empresas de Guimarães? Das 76 empresas nacionais presentes no evento, 40 eram da cidade, o que reflete a vocação industrial concelhia no setor e demonstra que a cidade está na vanguarda da recupeaçao económica do setor têxtil.
A Heimtextil reuniu um total de 2700 expositores internacionais, sendo a comitiva portuguesa uma das mais importantes e prestigiante da feira. Ricardo Costa, vereador do Desenvolvimento Económico do Município de Guimarães, esteve presente nesta feira, onde partilhou ainda algumas opiniões com o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.
De visita em visita, Ricardo Costa deu uma palavra a todas as empresas do concelho vimaranense, assegurando que, no plano internacional, Guimarães mantém a sua afirmação e tradição industrial, “com elevada presença num dos certames de maior dimensão e prestigio do setor”, revelou. Além da presença e apresentação da matéria produzida no concelho, o autarca vincou igualmente “o interesse que despertou” nos próprios visitantes, oriundos de várias nacionalidades.
Portugal é o 5º maior exportador de têxteis-lar a nível mundial, com vendas estimadas de 700 milhões de euros em 2015 (mais 7% do que em 2014) e uma quota no total das exportações da indústria têxtil e de vestuário de 15%, facto que se refletiu na participação em Frankfurt. 85% das empresas apresentaram roupa de cama e banho e artigos têxteis para mesa e cozinha. Portugal foi mesmo o país com a maior representação no Hall 11, dedicado a artigos Premium. Estima-se que o investimento feito pelas empresas portuguesas nesta Feira tenha sido superior a 2.5 milhões de euros.
heimtextil-2016-headerbild-schmalSegundo o Vereador da autarquia, este investimento demonstra que os “empresários investiram para mostrarem os seus produtos, numa feira onde a visibilidade internacional tem uma dimensão superior”, afirmou, lembrando que esta foi também uma grande oportunidade dos empresários realizarem contactos ao mais alto nível em todo o mundo.
Para Ricardo Costa, o setor têxtil demonstrou a sua força e a sua qualidade, destacando os dados da Associação Têxtil de Portugal na perspetiva do setor atingir a meta dos cinco milhões de euros do volume de exportações que tinha sido traçado para 2020.
Segundo os últimos dados, as exportações da industria têxtil e vestuário nacional acumulam um crescimento homólogo de 4,6% até novembro de 2015, ara 4467 mil milhões de euros, estimando a ATP que o ano passado tenha encerrado com um crescimento próximo de 4,5 %, para mais de 4,8 mil milhões de euros. “Foi um evento de enorme relevância para Guimarães, mas também para Portugal. Que este seja um exemplo do que podemos continuar a fazer no futuro em prol das empresas lusas e de Portugal”.