Um site em .pt gera confiança nos negócios online

Durante algum tempo o comércio eletrónico causou desconfiança a todos aqueles que ainda estavam menos abertos às potencialidades do mesmo. Mas a verdade é que, acompanhando a evolução que se fez sentir por todo o mundo, o e-commerce entrou em força nos hábitos dos portugueses e numa das linhas da frente está o domínio .PT, uma prova da força e confiança das empresas portuguesas que entram no negócio online.

2178
Luisa Gueifão

Ao contrário do que aconteceu em alguns países europeus e nos Estados Unidos, o comércio eletrónico em Portugal teve uma expressão e um desenvolvimento diferente, sendo que só muito recentemente é que o país começou a ter uma quota de online significativa. Mas, apesar de alguma resistência inicial, o e-commerce “apoderou-se” dos hábitos dos portugueses, conquistando e fidelizando o consumidor que olha para este segmento com muita expectativa. As vantagens saltam desde logo à vista. Um comércio global, sem horários de funcionamento, com custos mais reduzidos e que permite, com um simples acesso à Internet, comparar produtos, serviços e preços. Com entregas mais céleres, o comércio eletrónico é ainda um aliado da privacidade uma vez que permite efetuar uma compra sem que outra pessoa tenha conhecimento disso. Para Luisa Gueifão, Presidente do Conselho Diretivo da Associação DNS.PT, entidade que gere o domínio de topo português, .pt, apesar das inúmeras vantagens serem as principais potenciadoras do e-commerce, há um constrangimento que pode ter um peso significativo. “A relação de proximidade entre quem vende e quem compra deixa de existir. As gerações menos jovens podem ainda sentir a necessidade de ter do outro lado alguém que os aconselhe mas penso que os mais novos, que serão certamente as gerações do futuro, já cresceram neste mundo e não vão sentir essa necessidade”, defendeu.
Dentro deste cenário, as imensas oportunidades de negócio associadas ao crescimento do comércio eletrónico vão ter também impacto no domínio de topo nacional. Defendendo sempre um registo no domínio .pt, a Associação DNS.PT tem procurado criar condições para que as empresas portuguesas se possam afirmar na Internet, possam ter uma presença online e, caso queiram, possam enveredar pela venda online. Como? “Temos várias iniciativas e temos trabalhado com os nossos registrars nesse sentido. Temos, por exemplo, uma iniciativa emblemática, conhecida por 3 em 1, veja-se em www.3em1.pt. Todas as empresas que são criadas no âmbito da iniciativa ‘Empresa na Hora’ têm gratuitamente ao longo de um ano um domínio registado sob .pt, uma ferramenta para a construção de um site e o respetivo alojamento e caixas de correio eletrónico. Assim, a empresa em causa fica de imediato online, isto ainda que não tenha qualquer interesse em direcionar a sua atividade para o comércio eletrónico”, referiu a responsável.
Se invariavelmente falamos nas imensas vantagens associadas ao e-commerce, por outro lado, existem ainda questões que inevitavelmente são levantadas. Será que irei receber aquilo que comprei? Não há problema em inserir os meus dados pessoais? Apesar de ter conquistado terreno, o e-commerce ainda é encarado com desconfiança por alguns consumidores e empresas. Mas, a par da legislação que tem procurado proteger o consumidor, há muitas entidades que têm trabalhado para reforçar a confiança neste segmento. Por exemplo, ao contrário de um domínio genérico, o .pt, considerado a bandeira de Portugal na Internet, cria logo uma relação de proximidade, segurança e confiança no momento de compra. “O utilizador da Internet é hoje mais conhecedor e é mais educado nesta matéria e, por isso, sabe distinguir e, obviamente, prefere e elege um site que lhe gere confiança. O domínio .pt constitui e assume-se como uma ferramenta geradora dessa mesma confiança. Quem adere ao e-commerce irá comprar mais facilmente num site .pt cuja origem conhece, do que numa plataforma ou site que nem sabe onde está alojado e por quem é gerido”, explicou Luísa Gueifão.
A verdade é que Portugal está entre os 50 países do mundo melhor posicionados nesta matéria e, apesar de ter conhecido um desenvolvimento mais tardio, para a responsável da Associação DNS.PT, esse facto não é negativo uma vez que permite que não se cometam, ou pelo menos se repliquem menos, os erros do passado. No que respeita aos registos de nomes de domínio em .pt, as expectativas não poderiam ser mais animadoras. “No que se refere ao crescimento nos últimos três anos, fazemos parte do top 5 dos países europeus e, inclusivamente, estamos a crescer muito mais do que os nossos congéneres europeus. É verdade que eles começaram a crescer antes de nós mas, enquanto, do nosso lado, a curva contínua em linha ascendente, em muitos países da União Europeia existe já uma tendência de crescimento negativo”, referiu Luisa Gueifão, acreditando ainda que no futuro o e-commerce passará, por exemplo, pelo aperfeiçoamento da assistência no pós-venda. “O desafio passará por termos acesso a sites que gerem confiança a todos os níveis, não só na escolha do produto mas em todas as fases do ciclo de venda”.
Para continuar na linha da frente, a Associação DNS.PT continuará a assumir o posicionamento que a tem caracterizado, apoiando as empresas portuguesas nos seus processos de internacionalização e ajudando-as a ter uma presença sustentada, segura e confiante na Internet. “Mostrar às empresas nacionais que o domínio .pt é uma vantagem para o seu negócio será sempre a nossa estratégia”, concluiu Luisa Gueifão.

Novidades para breve
Nos primeiros meses deste ano será apresentada uma nova iniciativa, em que a Associação DNS.PT se constituirá como parceira, que passará pelo reforço da confiança do consumidor online e que fará com que seja atribuído a muitos dos sites sob .pt um selo de confiança, segurança e qualidade.  Novidades para breve.