UPBEAT: qual é o ritmo do sucesso?

1027

Carla Rocha sempre esteve profissionalmente ligada à área das telecomunicações mas o “bichinho” da música nunca a largou. Não se considerando uma artista, em conversa com familiares e amigos, foi-se apercebendo da existência de uma lacuna no mercado da música pela inexistência de um espaço com “qualidade e requinte” para que as bandas pudessem produzir as suas músicas. “Criar música é um momento de criatividade muito próprio e o ambiente é importante. Quis, por isso, criar um espaço com qualidade, com um elevado nível acústico, uma boa sonorização, com excelentes equipamentos e com um sistema de renovação de ar e climatização”, explicou a Manager e Fundadora. Estes eram os primeiros parâmetros que começaram a dar forma ao seu projeto. Assim, tratados com a melhor sonoridade possível, surgiram os primeiros quatro estúdios de ensaios, que no ano seguinte foram alargados para cinco, com um conceito totalmente inovador. Do jazz, ao rock, pop, funk e metal, a UPBEAT proporciona cinco espaços para todos os gostos musicais. Além de toda a qualidade assegurada, o número de salas é também um elemento diferenciador uma vez que os cinco estúdios permitiram apostar nos detalhes e o pormenor passa por colocar naquele estúdio aquele determinado instrumento que faz toda a diferença.
A missão da empresa era apenas uma: “dar aos artistas todos os serviços que permitam que eles cresçam”, referenciou Carla Rocha. Mas esta era, desde logo, uma missão muito abrangente. O que inicialmente consistia em proporcionar um espaço para que as bandas pudessem ensaiar, hoje é muito mais do que isso. Na UPBEAT, as bandas encontram “todo o apoio de que precisam para se lançarem”, desde sessões fotográficas, produções em vídeo e multimédia, design de capas de CD, entre outros. “Não queremos que eles desistam e, para isso, damos as ferramentas necessárias para que consigam ultrapassar os obstáculos, desde a qualidade para criar à formação necessária para terem essa mesma qualidade e para se manterem coesos e direcionados para o objetivo que querem atingir”, acrescentou Carla Rocha.
Os Estúdios UPBEAT são também o palco predileto dos eternos amantes da música. No final de um extenuante dia de trabalho, profissionais bem conceituados, que Carla Rocha apelidou de “engenheiros e doutores”, transformam-se e deixam a música entrar. Localizada bem no centro de Lisboa, a UPBEAT conseguiu assim entrar noutro nicho de mercado, captando a atenção de pessoas que seguiram as suas carreiras mas que continuam a ver a música como um hobby.
Por outro lado, Carla Rocha não escondeu a surpresa quando se deparou com o momento em que os Estúdios UPBEAT começaram também a despertar a atenção de músicos profissionais nacionais e internacionais, perfeitamente reconhecidos no mercado. Falamos de um Rui Veloso ou de uma Mariza que, mesmo tendo os seus próprios estúdios, recorrem à UPBEAT. Porquê? Carla Rocha acredita, acima de tudo, que o seu espaço permite-lhes ter mais disciplina. “Não acredito que os músicos profissionais recorram aos Estúdios UPBEAT por terem mais qualidade do que os estúdios deles. Mas nós acabamos por oferecer a qualidade a que eles estão habituados e alguma disciplina que muitas vezes é difícil ter quando se tem um estúdio por sua conta. Eles gostam dos espaços e sentem-se em casa”, referiu. Aqui, além da tal disciplina e da qualidade garantida, os artistas trocam impressões e o número 26 B da Travessa de Cima dos Quartéis, no Bairro de Campo de Ourique, acaba por ser também um outro palco onde convivem, falam dos concertos e partilham conhecimento musical. Além disso, a localização é outro fator determinante na escolha deste espaço. Carla Rocha acredita que, mesmo não tendo um jardim onde eles possam ter os seus momentos de pausa, “tem todo um bairro” por sua conta. “Com esplanadas, cafés no jardim e toda a envolvência, Campo de Ourique é uma zona inspiradora” e, para qualquer trabalho, sobretudo no mundo das artes, a inspiração é vital. Portanto, pela sua centralidade e pela ótima relação entre a qualidade e o preço, os estúdios UPBEAT têm sido a primeira escolha de agentes e promotores.

Carla Rocha
Carla Rocha

UPBEAT Academia e o papel da música no desenvolvimento cognitivo
Está cientificamente provado que a música contribui para o desenvolvimento integral de uma criança nas suas dimensões afetiva, motora, social e cognitiva. Sabendo isso, surgiu a ideia de criar a UPBEAT Academia, promotora de um método de ensino certificado pelo centro de examinação de música rock, a Rock School. No final do percurso, os alunos são submetidos a exames por júris internacionais, com diplomas reconhecidos a nível mundial e que possibilitam a continuidade no ensino superior internacional.
A academia disponibiliza ainda uma formação direcionada para a primeira infância e para o público sénior. Por um lado, mesmo que a criança não siga a carreira musical no futuro, a música é uma arte e tem uma linguagem muito particular. Carla Rocha não esconde a surpresa sempre que vê uma criança a ler uma partitura como se estivesse a ler um livro. A naturalidade é tão surpreendente que é difícil não perceber que há pessoas que nasceram realmente para a música. Por outro lado, quando falamos de um público mais velho, a música surge quase como uma brincadeira. Com o grupo de serões e serenatas, há apenas uma regra que deve ser cumprida: divertir-se. Nunca é tarde para aprender a tocar um instrumento musical. O objetivo deste grupo é apenas um, tal como explicou Carla Rocha: “tragam um instrumento que tenham em casa e caso não tenham nenhum, não há problema. Juntem-se a este convívio e aprendam a tocar”.
É por estes motivos que a UPBEAT tem caminhado ao ritmo do sucesso. Tem sido um ritmo muito próprio, acautelado e ponderado mas a verdade é que com poucos anos de existência as conquistas têm sido muitas. Para o futuro fica a vontade de ser uma entidade formadora acredita pela DGERT, algo que poderá estar para breve. “Aos músicos faltam competências muito técnicas que são necessárias numa banda tal como são em qualquer outra profissão. Relacionamento entre a equipa, comunicação da marca, criação de um site, planeamento de concertos ou a componente comercial são questões que devem ser mais desenvolvidas. Quero, por isso, criar uma entidade formadora dentro destas áreas para lhes dar as ferramentas para trabalharem melhor”, explicou Carla Rocha. Embora fuja ao core business da empresa, este objetivo acaba por estar intimamente associado à missão da UPBEAT: “ajudar o artista a crescer”, não permitindo que músicos com qualidade fiquem pelo caminho.
Não sendo uma agência de bandas nem uma promotora de eventos, a UPBEAT assenta o seu trabalho na criação da arte, assumindo-se cada vez mais como um espaço de referência “no apoio ao desenvolvimento dos músicos e da arte musical nacional”.

Uma mulher no mundo da música
“A minha forma de liderança é muito inclusiva e assenta, essencialmente, na relação com as pessoas. Para mim, é muito importante envolver a equipa nos projetos da empresa, ouvir opiniões e propostas. Quero que voluntariamente vistam a camisola e façam acontecer. É importante que todos se envolvam no desenvolvimento da empresa e que reconheçam como o seu trabalho está na base do crescimento do negócio. Adoro uma equipa com pro-atividade.
Sou bastante flexível no que respeita à revisão de procedimentos, assim como à apresentação de propostas inovadoras de prestação de serviços. Todos são ouvidos e dedico especial atenção à análise destas propostas junto dos colaboradores para em conjunto percebamos por que é que uma proposta é boa, má ou terá que ser adaptada.
No entanto, sou também bastante rigorosa no controlo da atividade diária, não só para acompanhar de perto toda a atividade dos colaboradores e detetar a possível carência de formação ou procedimentos em determinadas áreas, mas porque é essencialmente no “terreno” e junto do público que surgem necessidades de mercado a serem satisfeitas e se detetam melhorias a introduzir nos serviços prestados.
Um dos meus maiores desafios enquanto empresária foi encontrar uma equipa “à altura”, não só em termos técnicos como de valores profissionais que acredito serem imprescindíveis. Considero importante manter a equipa em formação constante nos mais diversificados temas, dando os recursos necessários ao seu melhor desempenho, e fico contente por ter uma equipa sedenta de formação, que procura melhorar a sua performance todos os dias. Hoje sei que tenho “a equipa maravilha” capaz de levar a UPBEAT ainda mais longe”.