Industriais de lacticínios criticam “guerrilha” de Espanha ao leite luso

O diretor-geral da Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) criticou hoje a “guerrilha comercial” de Espanha ao leite português, sublinhando que o incidente registado na segunda-feira na Galiza poderá conduzir a “retaliações” dos produtores lusos.

1209

“Demarcamo-nos, evidentemente, de ações deste género, mas cumpre-nos alertar para a eventualidade de acontecerem atitudes de retaliação dos produtores portugueses em relação aos camiões carregados de leite provenientes de Espanha que todos os dias circulam em Portugal”, afirmou Paulo Leite.

Na noite de segunda-feira, um camião português que transportava leite foi barrado e despejado em Lugo, na Galiza, por produtores locais.

Para Paulo Leite, este incidente contribuiu para “inflamar” ainda mais os ânimos dos produtores nacionais.

Segundo a ANIL, desde maio de 2015 que a Polícia Autonómica Galega tem em curso uma campanha de controlo do leite e derivados provenientes exclusivamente de Portugal, “com o pretexto de comprovar a rastreabilidade do leite que chega em camiões cisternas e embalado, para que tanto a origem como o processo de transporte e chegada ao destino cumpram com todos os requisitos legais”.

“Até agora, não foi detetada qualquer anomalia no leite português em termos de saúde pública, de qualidade ou de legalidade”, afirmou Paulo Leite.

Para este responsável, o que está verdadeiramente em causa é uma “estratégia protecionista” do leite espanhol, inserida numa “guerrilha comercial” que visa travar a entrada do produto português.

“O leite português cumpre todas as normas, não tem qualquer problema de qualidade nem de legalidade”, reiterou.