‘Tubarões’ dos mercados fogem da Apple

Gigante da tecnologia não está a convencer investidores a ficar no capital da empresa.

723

A Apple continua a garantir que não há razão para preocupações, mas os mercados não estão convencidos e continuam a dar sinais de receio crescente.

O início de 2016 convenceu alguns dos ‘tubarões’ da bolsa de Nova Iorque a rever as perspectivas sobre a marca liderada por Tim Cook, com resultados negativos: Carl Icahn, um dos gurus de Wall Street, reduziu a participação na Apple em cerca de 13% face ao último trimestre do ano passado e a Greenlight abdicou de 44%, assegura o site Apple Insider.

A saída de dois pesos-pesados do mercado accionista preocupa a marca da maçã, que tem tentado descansar os investidores apesar da queda nas venda de iPhones e do pessimismo em torno das reservas financeiras demasiado elevadas. Além de Icahn e da Greenlight, também a Appaloosa Management, a Adage Capital Partners, e a Blue Ridge Capital reduziram de forma significativa o investimento na tecnológica norte-americana.

Em compensação, a Bridgewater Associates e a Tiger Global Management apostaram na empresa fundada por Steve Jobs, com a confiança de uma recuperação nas vendas que leve a Apple novamente ao topo da lista de empresas mais valiosas do mundo.