“Temos projetos, ideias e um futuro que creio promissor”

Opinião, Susana Sérgio Menoita, Fundadora da Cakes 2 Love.

775

Aos 30 anos dei por mim desempregada. Licenciada, pós-graduada e a frequentar um mestrado. Até aí, chamavam-me Dr.ª, tinha um bom emprego, responsabilidades, gabinete próprio.

Despedi-me da realidade como a conhecia até então e embarquei numa nova jornada. Perdi-me ao tentar encontrar-me. Debati-me com dúvidas, fui invadida pelo medo e a angústia. Até que decidi que já não conseguia continuar inerte, com pena de mim mesma. Parei, refleti, fiz um período de luto. Sem pressa, o tempo que investimos em nós nunca é tempo perdido. Reinventei-me. No momento em que me entreguei à convicção de que ia vencer independentemente do caminho, iniciei o meu percurso rumo ao topo. Um percurso não isento de percalços mas que me orgulha, aprendi a medir o sucesso não com base no dinheiro que ganho mas no prazer que retiro do meu trabalho, nas pessoas com quem me cruzo e nas oportunidades que vão surgindo e que agarro.
A cozinha era o meu refúgio e no meio dos meus devaneios culinários surgiu a ideia de abrir onde espaço onde pudesse comercializar os doces que tanto gostava de preparar. Delineei um projeto, fiz estudos de viabilidade e sustentabilidade económica. Calculei o valor do investimento. Fiz formação. Aperfeiçoei-me. Procurei um espaço e a ideia tomou forma. Ainda hesitei, tive receio mas resolvi arriscar e assim nasceu a Cakes 2 Love. Quatro anos volvidos, a empresa cresceu, orgulho-me de dizer que somos hoje uma referência na área dos casamentos na zona centro do país. Estamos situados na Guarda e tiramos partido da nossa localização, tendo já estabelecido contactos em Espanha. Procuramos crescer de forma sustentada e sem colocar em causa o trabalho já desenvolvido. Temos projetos, ideias e um futuro que creio promissor.
Se aprendi algo foi que a vida não é estanque, nem preto no branco, há uma pluralidade de cores e tonalidades distintas para descobrir. Não temos que ser uma coisa só. Temos sim que saber aproveitar os nossos recursos, maximizar as nossas potencialidades e acreditar que somos capazes. Einstein dizia que: “uma mente que se abre a uma nova ideia, jamais regressa ao seu tamanho inicial” e eu fervilho de novas ideias. Descobri que sou mais forte do que julgava, que tenho valor e que não preciso de títulos académicos, nem prefixos para me sentir realizada. Já não me sinto vergada pelo peso do que a sociedade me impõe, quem me define sou eu. Mulher, esposa, mãe, filha, irmã, amiga, profissional. Desempenho uma panóplia de papéis e sou feliz em todos eles.

Agradecimentos: Sofia Tregeira – Joalheria de Autor, pelas magníficas jóias cedidas para esta sessão fotográfica.