Banco de Portugal altera taxas máximas a cobrar no crédito ao consumo

Regulador do sistema financeiro nacional alterou valores de financiamento a aplicar nos novos contratos. Entre subidas e descidas, fique a saber o que mudou.

489

Crédito pessoal e cartões de crédito potencialmente mais caros, crédito automóvel mais barato para as compras com locação financeira e ligeiramente mais pesado se for pedido para reserva de propriedade: estas são as mudanças implementadas pelo Banco de Portugal no que toca ao crédito ao consumo. 

Depois de uma subida na quantidade de empréstimos e de dinheiro pedido em janeiro deste ano, o segundo trimestre de 2016 vai começar com taxas máximas ligeiramente diferentes, como consequência da leitura que o banco regulador nacional faz do mercado bancário.

Uma semana após o corte da taxa de juro referência do Banco Central Europeu para 0%, surge a alteração trimestral das taxas a aplicar pela banca portuguesa. Caso queira consultar os juros aplicáveis a cada tipo de crédito, pode consultar o comunicado do Banco de Portugal.